SexLog

Sou casada há 15 anos e o relacionamento sexual com meu marido andava muito ruim.  Pra dizer a verdade, eu já não sentia mais tesão quando ele me tocava.

Sempre fui uma mulher muito fogosa e tinha um fogo dentro de mim que não sabia como apagá-lo.

Mas tudo isso mudou numa tarde de sexta-feira. Minha máquina de lavar resolveu dar um defeito e pra meu azar, estava sozinha em casa com um mau humor terrível!

Resolvi ligar para o técnico,que se prontificou a vir em minha casa em trinta minutos.

Aproveitei e tomei um banho pra tentar me livrar daquele mau humor. Coloquei um vestidinho bem leve. Estava muito calor! Deitei na cama pra me acalmar e relaxar um pouco.

Quando a campainha tocou e fui abrir a porta, quase cai pra trás: um homem de aproximadamente 1,90, cabelos lisos, corpo super sarado e ainda por cima bronzeado… Quase fiquei sem fala!

Explique o que estava acontecendo com a máquina. Acho que fiquei mais desconcertada que a máquina!

E cada vez que aqueles olhos esverdeados me olhavam me dava uma tremedeira inexplicável!

Deixei ele à vontade pra fazer seu serviço e fui pro quarto, louca de tesão por aquela figura linda e sexy, mas mantive a postura!

Vária vezes eu ia no local onde ele estava consertando a máquina só como desculpa pra vê-lo.

Até que, ao perguntar se ele estava precisando de alguma coisa, a torneira quebra e lança um jato de água abundante em cima de mim, molhando todo o meu vestido e revelando que eu estava sem sutiã e sem calcinha.

Surpreso, ele olha pro meu corpo molhado e pro meu rosto imediatamente. Depois rapidamente pega uma toalha e começa a me secar, pedindo desculpas e olhando fixamente pra minha boca.

Fiquei sem reação. Ele passou a toalha pelo meu ombro, depois pelo meu braço e sempre olhando fixamente. Passa a toalha por cima dos meus seios, bem devagar…

E eu completamente imóvel!

Até que não aguentando mais, ele levanta meu vestido e me toca de um jeito abusado. Sua boca invade a minha com uma língua quente.

Solto um gemido que o faz perguntar se poderia continuar… Digo que sim, implorando para ele não parar.

Ele me levanta até sua cintura e me beija, me chupa, mama meus seios de maneira tão urgente que mais um pouquinho eu gozaria ali mesmo!

Indico onde é o quarto e ele me leva agarrada na cintura dele mesmo. Então me joga na cama e começa a tirar a camisa e a calça jeans.

Vejo aquele pau lindo, cabeça cor de rosa enorme! Não quero mais nada naquele momento a não ser aquilo dentro de mim!

Ele beija até chegar na minha barriga e desce mais um pouco.  E lambe como se eu fosse um sorvete, pede pra eu deixar vir meu “leitinho”pra ele engolir! Vou a loucura com isso!

Mas ainda estava faltando a minha vez. Falei no ouvido dele:

-Deixa eu colocá-lo na minha boca?

–É todo seu, minha princesa! –  Ele diz.

Sem demora, lá fui eu provar o néctar dos deuses. Era tão gostoso que eu não queria parar de chupar, poderia me viciar naquilo!

Aquele homem me puxou, rolou por cima de mim e me preencheu com aquele pauzão gostoso.

Começou investindo devagar, mas logo eu reclamei e ele deu um risadinha.

Então foi metendo cada vez mais rápido, aquilo estava muito bom! Me virou de quatro e começou com investidas fortes e rápidas, do jeito que eu gosto!

Aquele homem era um sonho! Quando não estava mais aguentando, explodo em um gozo que nunca havia tido antes em minha vida. O melhor de tudo: ele gozou juntinho comigo!

Quando recuperamos a lucidez, agendei um horário no dia seguinte pra ele consertar minha secadora de roupas.

Assim passamos um bom tempo nos vendo… E eu parei de reclamar da falta de sexo em casa.

Conto enviado por D. Rocha

Vamos ler mais um conto? Olha só este outro aqui que separei para você: Café da Manhã para Maiores. Aposto que você vai adorar!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNega
Próximo artigoMeu Motorista Particular
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.