WhatsApp Loja Meus Fetiches

Uma rede social me aproximou daquele primo que quase não tinha contato, algumas vezes ele tentou puxar assunto, mas não ia muito além. Mas naquela noite quente, me deixei levar pelas conversas e fui surpreendida por elogios e sentimentos secretos revelados por ele, como por exemplo, o sentimento de perda dele no dia do meu casamento, quando ele ainda era adolescente.

Seu desejo de menino inalcançável, realmente me surpreendeu tanto, até que resolvi provocar. Enviei uma foto de biquíni na piscina que tinha tirado naquela mesma noite, estava gostando do que ele tinha pra dizer, pois não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo comigo. Afinal eu estava casada e acomodada na minha vidinha perfeita.

Conversamos por horas naquela noite. Outras noites vieram, com fotos e áudios e muitas provocações. E assim se passaram oito meses de muita imaginação…

Num dia cinza e chuvoso, surge a proposta de nos encontrarmos. Então meu coração acelerou e as dúvidas surgiram. Certo ou errado, seguir em frente ou não? Eu sou casada e nunca tive outro homem. Tive insegurança e medo de me entregar demais, me apaixonar e não suportar.

Viajei pra vários destinos naquela tarde, imaginava como seria o encontro cara a cara, quem tomaria iniciativa, o primeiro toque. Cheguei a pensar em desistir, mas o desejo e a curiosidade de viver aquele momento na vida real sem uma câmera ou uma tela, entre nós era muito maior, então me permiti deixar acontecer.

A noite foi chegando e alguns impedimentos surgiram como um sinal vermelho: visitas inesperadas, muita chuva e desculpas baratas para justificar minha saída. Mantivemos contato virtual no período do trajeto, pois ele faria uma viagem de 1h30 com chuva.

Dentro de mim surgiu, uma explosão de sentimentos, impossível disfarçar. Um banho demorado, uma maquiagem leve, nunca foi tão difícil encontrar a roupa ideal. A lingerie já havia separado, afinal aquele momento merecia no mínimo uma calcinha nova. Quando o cabelo estava pronto mandei uma foto pra apimentar ainda mais.

Ele avisou que estava próximo, então me apressei em averiguar se tudo estava ok. O grande momento chegou e eu apressada e debaixo de chuva saí de casa. Entrei no carro e me deparei com a realidade: aquele homem que por muitas noites fez esquentar meu corpo de tesão, por meio de fotos, áudios e muitas conversas, estava ali diante de mim e eu não sabia o que fazer. Olhei e pensei “agora vai”.

A primeira coisa que me perguntou foi: “pra onde vamos?” Fui orientando o caminho a seguir, ele gostou da brincadeira e não perguntou, somente seguiu. Chegando lá, eu já estava tremendo as pernas de nervosismo e ele aparentando a maior tranqüilidade.

Quando chegamos à suíte e desligou o carro, com um piscar dos olhos a tremedeira passou, mas eu continuava constrangida. Nesse momento surgiu à primeira tentativa dele me tocar, mas eu fugi dos seus braços. Já estava sem graça e insegura, pois não conseguia tomar iniciativa.

Olhamos-nos e o primeiro beijo tímido e macio aconteceu.Começou a desabotoar minha blusa, eu não conseguia reagir, ele só olhava. Foi então que me deitou e continuou a me beijar na boca, na barriga, e na cintura. Que delícia!!!

Nesse momento, já sentia minha calcinha molhada querendo mais daquele homem, que me desejava, me comia com os olhos. Comecei a tirar sua camisa, corri minhas mãos geladas de frio por seu corpo quente. Era visível que ele estava excitado, pedi pra tirar a calça e ele se negou me provocando mais ainda, me virou de costas e continuou a beijar meu corpo. Depois voltou pra frente, continuou a me provocar com aquela língua safada. Tirou minha calcinha e foi descendo com sua boca quente até minha intimidade, ali ficou saboreando meu mel.

Levou-me a loucura com sua barba rala esfregando em mim e me causando ainda mais excitação. Eu estava louca, já queria que ele me penetrasse com aquele mastro rígido. Olhou nos meus olhos pediu que gozasse na boca dele, o que não foi muito difícil, pois sua língua trabalha muito bem, até que gozei.

Na banheira ele me tomou, e aí sim, queria muito me penetrar. Eu me entreguei ao homem que mais me desejava e realizei o seu desejo de adolescente. Permiti sentir todas as sensações que àquelas horas me proporcionaram.

Voltamos pra cama e nos aproveitamos um do outro, sem pudor, com muita vontade e já sem medo eu queria sentir gozar dentro de mim. Fiz com que ele sentisse a mesma explosão de prazer que eu senti, aquele olhar de satisfeito, cansado, suado e de coração acelerado, que ele fez questão de me mostrar colocando minha mão sobre seu peito, foi muito bom.

Não queria que aquela noite acabasse, mas tínhamos que voltar a realidade, saímos daquele motel saciados! Saímos muitas outras vezes depois.

Conto erótico enviado por autora anônima

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorRelação Aberta
Próximo artigoUm ex colega – Conto Erótico
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.