SexLog

Outro dia me perguntaram qual foi o erro mais gostoso que eu cometi.

Então veio essa lembrança: ter ficado com um conhecido do meu marido em nossa festa de dez anos de casamento com certeza foi o melhor dos meus erros.

E não me arrependo nem um pouco! Você vai entender o porquê.

Aposto que deve estar pensando agora como eu fiz isso, ainda mais numa festa que sempre tem muita gente na volta…

Bem, confesso que não foi fácil. Aliás, foi bem arriscado, mas foi uma rapidinha que valeu muito a pena!

Pra começar, vou contar que ele é muito lindo, todo delícia! Já rolava certo interesse de ambas as partes e aquele momento veio bem a calhar para nós dois.

Fim de festa, restavam apenas poucos amigos e todos estavam “chapados” de tanto bebida, incluindo meu “digníssimo” marido. Ele estava completamente bêbado!

Eu estava encostada na pia da cozinha fazendo mais uma caipirinha para toda aquela turma quando ele entrou.

Trocamos olhares.

Simplesmente não resisti quando ele chegou perto de mim na cozinha do salão e disse com uma voz safada e provocante:

– Queria tanto te dar um presente!

Naquela hora me deu um frio na barriga, minhas pernas tremeram de imediato, não sabia o que fazer. Sem olhar pra ele eu disse:

– É só dar este presente de uma vez.

Ele se afastou. Pensei que ia voltar para o salão, mas me enganei.

Foi até a porta, espiou cuidadosamente para ver o “movimento”. Quando ele voltou, tremi outra vez.

– Então toma! – ouvi aquela voz…

Virei o rosto para ver o que era e fui surpreendida por um beijo daqueles de fazer qualquer mulher gozar de tanto tesão!

Imediatamente suas mãos começaram a percorrer meu corpo com certa urgência. Um calor sem igual foi tomando conta de mim.

E para completar, eu estava de saia… Ah, não! Ali começou meu gostoso erro…

Como o beijo estava bom demais e nossas mãos queriam muito mais, ele tratou de dar um jeito.

Foi até o salão e perguntou se alguém estava a fim de uma caipirinha de maracujá e de morango. A desculpa perfeita para termos tempo de sobra e ninguém desconfiar de nada.

Quando entrou na cozinha, já veio soltando o cinto e abrindo o botão da calça. Mesmo sabendo que não poderia fazer isto, o desejo falou mais alto. Eu queria muito!

Ajoelhei na sua frente e comecei a fazer um sexo oral quentíssimo. Ele pressionava de leve minha cabeça contra seu membro e ficava cada vez mais louca.

A situação era perigosa ao extremo, mas ele valia a pena todo o risco. Tudo foi muito rápido, não dava para pensar muito.

Ele me pegou pelo braço, beijou minha boca, passou as mãos em meus seios… E eu cada vez mais excitada.

Então levantou uma perna minha, colocou a calcinha de lado e fez a língua trabalhar gostoso.

Quando eu estava quase morrendo de tanto tesão, ele me virou pra pia, dei empinada na bunda e colocou gostoso. Foram minutos que me fizeram ir ao céu.

Meus olhos ficaram vidrados na porta, atenta a qualquer ruído que denunciasse alguém chegando. Sentia aquele pau duro entrando e saindo, me lambuzando toda… Uma sensação indescritível!

– Vou gozar – ele falou ofegante.

Respondi imediatamente:

– Não tira!

Neste instante, ele não aguentou e se liberou. Deu aquela xingadinha básica e gozou gostoso.

Quando terminou, me abraçou, beijou minha boca com um beijo safado, porém carinhoso. Eu estava tremendo ainda, numa louca mistura de medo e tesão. Dei uma risadinha meio sem graça e disse que adorei o presente.

E ele disse simplesmente:

– Foi apenas o primeiro de muitos.

Claro que nós tínhamos que fazer as caipirinhas muito rápido, afinal a demora foi grande. Fizemos de qualquer jeito e levamos para o pessoal, que estavam bêbados e dançando, inclusive meu marido que estava agarrado numa vizinha nossa.

A lembrança daquele dia me fez bem.

Aliás, ele me faz muito bem até hoje, pois me fez sentir mulher de verdade outra vez!

E quanto ao meu marido? Você deve estar se perguntando… Como ele fica nesta história?

Bem, tempos atrás ele me traiu com uma amiga minha. Se é que posso chamar ela de “amiga”, não é?

Aquilo me abalou demais na época. Estava em minha primeira gestação. Sofri muito, mas apesar disso continuei com ele, pois o amava demais e ainda tinha filho para cuidar.

O tempo foi passando e ele cada dia mais distante. Sempre tinha uma ou outra mulher envolvida no meio, só que eu fingia não saber para não me incomodar.

Um detalhe a ressaltar é que sempre fui gordinha, ele me conheceu assim. Até que um dia, numa discussão, ele olhou pra mim e disse:

– Sabe por que eu te traio? Porque você é gorda!

Comecei a chorar e falei:

– O que isso tem a ver? Sou gorda sim, qual é o problema? Mas sou linda e maravilhosa! Eu me amo do jeito que sou.

Ele começou a rir e disse com o maior sarcasmo do mundo:

– Ah, é? Então vai ver se alguém te quer…

Não precisa dizer que já não estamos mais juntos, não é? Ninguém pisa mais nos meus sentimentos.

Conto erótico baseado na história de W. T.

Que história incrível, não é? Tem mais uma para você, não vai embora ainda… Que tal esta aqui: Aqueles Olhos Cor de Mel.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMemórias de um sábado à tarde
Próximo artigoProvocação Pura
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.