WhatsApp Loja Meus Fetiches

Sabe aqueles contos eróticos em que uma vizinha super gostosa se muda para perto do cara e ele tem momentos incríveis com ela?

Bem, eu nunca pensei que eu seria um desses caras escrevendo aventuras com a vizinha, mas olhe só, eu sou aqui contando para vocês a minha história.

Tudo começou há alguns meses quando mudou-se para minha rua uma morena linda. Ela era professora de uma rede pública e tinha mais ou menos 30 anos. Logo reparei nos detalhes: cabelos lisos, 1,68 de altura, seios pequenos, mas desenhados em uma perfeição divina.

Já tinha visto ela algumas vezes andando de moto pela rua, e se aquela morena já ficava linda em pé, imagina empinando a bunda na moto.

Nesse interim, como ela não conhecia ninguém pelo bairro, já que morava em outra cidade e eu estava sempre pela calçada, ela resolveu me perguntar onde ela poderia encontrar um mercado. Esta foi a primeira vez que ela percebeu que eu a engolia com o olhar.

Confesso que não fazia por mal e acho também que ela não achou ruim.

Após alguns dias alguém bateu na minha porta. Pela janela vi que era minha vizinha com um shortinho curto e uma regata. Quem poderia julgá-la?

Afinal, estava um calor que faria qualquer um ficar molhado. Eu aposto que ela estava. Abri a porta sem camisa e com uma samba canção que já começava a ficar apertada. Ela me olhou de cima a baixo e disfarçou pedindo um martelo.

Do mesmo modo a analisei de relance, pena que não consegui disfarçar tão bem como ela fez. Peguei o martelo e brinquei: “Cuida bem do meu martelo”. Rapidamente ela disse: “Acho que seu martelo não vai querer sair mais da minha casa, de tão bem que vou cuidar”.

Posteriormente, ela veio novamente em minha casa, perguntando se eu tinha uma furadeira. Ela precisava colocar uma cortina no quarto de visitas e não tinha quem fizesse isso por ela.

Claro que eu me ofereci. Ela agradeceu muito a minha ajuda e juntos fomos ao apartamento dela novamente. Subi a escada atrás dela, fiquei só reparando naquela bundinha bem redondinha… Assim que entrei em seu quarto, coloquei a cortina rapidamente e fui embora.

Certo dia ela me chama novamente e disse que desta vez era a torneira da pia estava vazando. Tinha comprado uma nova e perguntou se eu poderia trocar. Eu não sei você, mas eu não consigo recusar um pedido vindo de alguém que me faz acordar de pau duro toda manhã.

Eu tinha chegado da rua a pouco tempo. Vesti um short rapidamente e fui ajudar novamente a minha vizinha. Perguntei pelo seu marido. Ela respondeu que ele não servia para nada, vivia viajando e ela morava praticamente sozinha.

E assim lá fui eu arrumar a pia. Quando percebi, estava jorrando água sem parar. Eu me molhei inteiro, fiquei super sem graça.

– Por favor, me perdoe. Não sabia que isso ia acontecer. – falei, com vergonha. – Já que estou todo molhado, posso tomar um banho aqui?

Então ela vendo meu desconforto, começou a rir e disse que estava tudo bem. Fechei a porta do banheiro, liguei o chuveiro e tomei banho.

De repente ela entra no banheiro sem bater só para me alcançar a toalha e se deparou comigo todo ensaboado.

Sinceramente, não soube como reagir. Tentei continuar meu banho normalmente, mas meu pau não reagiu da mesma forma. Só de saber que ela estava me vendo totalmente pelado naquele momento, fez ele ficar pulsando.

Enfim, ela viu aquilo, pediu desculpas e disse que iria fazer um suco para nós.

Sai do banho e ela já tinha trocado de roupa. Estava de vestido bem curto e fazendo o suco que prometera. Nessa altura, meu pau que já estava totalmente marcado. Sentei na cadeira da cozinha, peguei um copo de suco e começamos a conversar.

Ela falou que estava bem quente, sorte a minha que estava sem roupa. Não perdi a oportunidade e disse que ela podia ter essa sorte também.

– Quando estou sozinha em casa, ando sem roupa. Adoro andar pelada.

Aquela frase me deixou maluco e novamente perdi o controle sobre meu pau. Ela derrubou no chão a colher que estava mexendo o suco e resmungou que era muito desastrada. Quando foi pegar outra, ficou na ponta dos pés para alcançar a colher.

Nesse momento vi que estava sem calcinha em baixo daquele vestido super curto. Não precisa dizer que meu pau subiu quase rasgando a cueca. Assim que ela me olhou daquele jeito, deu uma risadinha, disse que eu era muito safado e perguntou:

– Você teria coragem de trair sua esposa?

Fiquei vermelho com a pergunta, mas disse “Com você, sim!”. Ela riu novamente.

Eu me encostei em seu corpo e fiz ela sentir meu membro pulsando. Comecei a fazer massagem em seus ombros, subindo pelo pescoço… Quando me dei conta, minha mão já estava na sua bunda, indo em direção a sua vagina.

Em seguida ela se virou, me jogou no sofá e baixou meu short. Engoliu com prazer meu cacete duro e melado. Cuspiu nele e iniciou uma “Garganta Profunda” de tirar o fôlego, enquanto me olhava com uma cara safada.

Da mesma forma que eu, estava tão excitada que sentia ela toda molhada. Não aguentei, coloquei a vizinha deitada no sofá e abri bem suas pernas. Por um momento queria só ficar olhando aquele sexo lindo, pingando de prazer por mim, mas não aguentei e cai de boca!

Seu gosto era único, doce e quente. Ela gemia sem parar e segurava minha cabeça com força para eu não parar. Ela tremia em meus lábios… Até que sinto escorrendo seu mel mais do que o normal e ela se contorceu toda. Pronto! O orgasmo chegou. Agora vamos para os outros.

Coloquei ela de quatro no sofá, enquanto ela ainda estava em êxtase pelo tesão. Comecei lamber suas costas e fui descendo até chegar em seu ânus. Forçava minha língua para entrar o mais fundo possível e ela tremendo me pedia para colocar os dedos dentro dela.

Fiquei com dois dedos em sua vagina e a língua em seu cuzinho por um tempo. Resolvi fazer algo que sonhava há dias: esfreguei meu pau bem na entrada de sua bucetinha até que tudo estivesse bem molhado. Tinha visto esta técnica na internet.

Deixei ela louca de desejo novamente e a penetrei. Senti ela tão quente e apertada, a cada bombada que dava, sentia sua vagina contrair. Ela gritava de prazer! Meu corpo estava todo arrepiado e senti que não iria aguentar mais.

Disse para ela ficar de joelhos na minha frente: “Engole todo este tesão que está por vir!”

Ela abriu a boca… Não pude resistir esta cena! Ela gritava de boca cheia a cada jato que vinha. Ainda bati com o pau em sua cara depois do gozo. De joelhos, a vizinha me olhava com um sorriso lindo, toda lambuzada.

– Confio em você. – ela disse.

Era nosso segredo. Voltei para minha casa.

Conto enviado por seguidor anônimo.

Curtiu esta história? Tem mais por aqui! Até selecionei outro conto erótico para você se deliciar mais um pouquinho. Confira este aqui: Na madrugada tudo acontece.

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBanheiro de bar
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.