WhatsApp Loja Meus Fetiches

Aquela empregada gostosa não saia mais dos meus pensamentos.

Antes de mais nada, digo que sou casado e também sou bem mulherengo, confesso! Não resisto a uma mulher tesuda na minha frente.

De antemão já digo que a minha empregada é mulherão e tanto. É uma morena linda chamada Paula, que veio do interior do estado para fazer faculdade. Moça bastante esforçada.

Ela falou com sua tia, amiga da minha esposa, e após alguns ajustes, ficou como nossa empregada para cuidar de nossos meninos.

Afinal, eu e minha mulher trabalhamos muito.

Logo que a delícia chegou fiquei doido de tesão pela morena. Por sinal, ela tem uma bunda linda e uma cara de safada.

Frequentemente aproveitava para fazer certas brincadeiras com ela. Percebi que estava bem receptiva às piadas, então continuei.

Um dia, uma dessas “brincadeiras” foi ter me apresentado de pau duro para  tomar café da manhã na cozinha na maior cara de safado. Ela viu e notei seu espanto por ter visto o tamanho do meu membro marcado no short.

Logo perguntei se ela nunca tinha visto um cacete grande e grosso e se o que ela via era do seu agrado. Ela respondeu com um leve sorriso no rosto que daquele jeito nunca e que agradava sim.

Tomei meu café e saí feliz. A isca foi jogada. Tinha chances…

Às vezes tentava agarrar e ela se esquivava. Isto me deixava fervendo de tesão e tinha que ir para o banheiro tocar uma punheta pra aliviar a pressão.

Certa vez minha esposa iria viajar a trabalho por alguns dias. Fiquei feliz da vida em aproveitar para tentar alguma investida com a empregada que se fazia de difícil.

Mas ela era gostosa demais e não estava conseguindo ir adiante em minhas investidas.

Assim que ela terminou seus afazeres, foi tomar banho nas suas dependência. Eu fui espiar esta obra divina. Subi na janelinha que dava para o box e fiquei admirando ela lavar seu sexo. Ela era bem depilada e tinha uma bunda que beirava a perfeição.

Claro que não me aguentei vendo ela tomar banho e sem poder tocar naquele corpo tesudo. Ali mesmo, toquei uma punheta gostosa. Ela percebeu minha presença, deu um sorriso maroto e continuou o banho.

Até fui ao seu quarto depois, mas ela trancou…Desgraçada! Desta noite não passava, pensei! Mas não foi dessa vez…

Os dias iam passando e nada da empregada liberar o corpinho pra mim.

Então, um dia, eu estava quase implorando. Ela fez fingida menção com o rosto que estava preocupada  com o que eu falei  e veio em minha direção.

Pegou no meu pau por cima da bermuda e na mesma hora ele deu sinal de vida . Fiquei louco de tesão. Ela tirou ele pra fora, começou a me masturbar.

Depois que meu pau já estava latejando, ela caiu de boca e mamou gostoso. Nunca senti uma boca tão gostosa como aquela me chupando. Parecia que ela tinha muita experiência no que fazia. Foi uma delícia.

E eu estava doido pra gozar naquela boca carnuda… Na hora de gozar ela parou de chupar imediatamente. Parecia que tinha acordado de um sonho bom.

Então ela disse para eu meter tudo dentro dela e dar umas estocadas. Ela só puxou a calcinha para o lado e enfiei minha vara nela. Só de ver meu pau entrando e saindo daquela buceta toda melada, cheguei me arrepiar de tesão. Eu parecia um animal.

Debrucei ela sob a mesa da cozinha, me apoiei numa cadeira e montei na morena. Fiquei esfregando a cabeça do pau bem na entradinha do seu sexo. Cada vez que eu fazia isso ela gemia gostoso e pedia desesperada pra eu meter logo.

É lógico que eu fiquei ainda um tempo torturando. Depois abri bem suas pernas e enterrei ele todo dentro dela, arrancando um gemido que foi música para meus ouvidos. A mesa quase quebrou!

Ela me puxava para mais perto de seu corpo e apertava minha bunda cada vez mais, como se quisesse que eu empurrasse forte dentro dela.

O momento era de muito tesão e fiquei morrendo de vontade de gozar, mas ela logo parou novamente. Ficou de quatro no chão e mandou eu meter assim sem piedade no seu cuzinho.

Foi o que eu fiz, nem pensei duas vezes. Meti gostoso no meio daquela bunda enorme dela. O caminho não foi tão difícil, ela dizia que amava dar o rabo pra homem de pau grande. Tentei me segurar ao máximo depois de ouvir aquilo. Só de pensar outro homem metendo gostoso naquele cu…

Gozei de uma forma desvairada! Ainda bem que a casa é grande e não tem vizinho tão perto, pois com certeza iria ouvir meus gritos de prazer.

Imediatamente ela se virou pra mim e abriu as pernas. Paula me fez chupar seu sexo até ela gozar. Senti a morena tremer na minha boca, me agarrando pelos cabelos e esfregando a buceta molhada na minha cara.

Foi uma foda deliciosa com aquela empregada linda! Já faz uma semana que transamos e estou atrás dela novamente louco pra comer o seu traseiro.

Claro que estou virando num santo para que minha mulher não desconfie de nada e saia para viagens a  trabalho mais vezes.

Conto erótico enviado por um seguidor anônimo.

Aposto que este conto erótico mexeu com sua imaginação… E pra não perder o “fio da meada”, separei mais uma história deliciosa para você. Clique aqui e confira: “Aquele Taxista Sedutor”.

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFinal de expediente
Próximo artigoMaravilha de funcionário
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.