WhatsApp Loja Meus Fetiches

Como escrever um conto? Muita gente tem a história, mas não sabe como colocar no papel (ou na tela) a ideia completa.

Um conto erótico é aquele texto que narra fatos reais, mas nem sempre tem compromisso com o verídico. Geralmente tem uma estrutura padronizada, iniciando com apresentação e descrição breve dos personagens e termina com cena de sexo explícito.

O conto erótico não tem pretensão literária, apenas um relato pessoal de uma experiência sexual e são muito interessantes quando bem escritos ou quando se usa uma linguagem mais criativa.

Para auxiliar nossos seguidores a escrever boas histórias, separamos algumas dicas bacanas. Confira aqui:

IDEIA EXCITANTE COMO PONTO CENTRAL

A inspiração para escrever vem em forma de ideias. Para encontrá-las, procure pensar numa situação que você passou e que foi muito excitante. A ideia para uma história é seu ponto de partida, a ‘célula tronco’ do seu trabalho, a qual dará origem a todas as outras ideias e desdobramentos da sua criação. Embora não seja, por si só, garantia de sucesso, a ideia excitante coloca você no caminho certo desde o início.

Nem é preciso que seja uma ideia original. Tem que ser aquela cena que desperta seu interesse erótico. A originalidade virá da maneira como você desenvolverá a história, da linguagem escolhida, enfim, do seu estilo de escrever.

Para escrever seu conto, você pode tirar ideias de várias fontes: das lembranças da adolescência, das primeiras experiências com o sexo, de suas fantasias ou até de suas experiências recentes. É pouco relevante se os acontecimentos são verídicos ou não. O que importa é a história ser convincente.

FOQUE NOS ASPECTOS PSICOLÓGICOS

Um erro comum presente em muitas das narrativas é o autor concentrar-se APENAS nos aspectos físicos e nas ações das personagens, resultando em histórias desinteressantes, muito explícitas, mas pouco eróticas.

A aparência, os detalhes corporais e os atos das personagens são importantes na história, mas não são eróticos por si sós. É mais importante descrever o que as personagens sentem. Explore o mundo interior delas falando dos seus medos ou preconceitos, tabus, conflitos e paixões. Nas passagens que narram as relações sexuais, descreva as sensações, as dores e os prazeres sentidos.

DESCREVA ASPECTOS FÍSICOS

Muitas pessoas odeiam muitos detalhes, mas em um conto erótico temos como ponto principal os detalhes físicos e psicológicos dos personagens.
Descrever aspectos físicos contribui para que o leitor “veja o personagem” e instiga a imaginação de cada detalhe do corpo, como se toda a cena estivesse á seu alcance. Porém, como citamos no tópico anterior, focar somente no aspecto físico não contribui muito para a narrativa no geral. Procure manter o equilíbrio entre o físico e psicológico.

DESENVOLVA UM CONFLITO PARA SUA HISTÓRIA

A mera descrição de cenas de sexo pode ser interessante de alguma forma para alguns leitores, mas é o conflito que provoca a tensão e a expectativa necessária. O conflito dá também sentido e rumo à narrativa.

Esse conflito pode ser basicamente de dois tipos: interno ou externo. Exemplos de conflitos externos são as dificuldades impostas por outros personagens, ou pela sociedade, ou pelo ambiente ou por qualquer outro obstáculo que não derive da própria psicologia da personagem.

Já os conflitos internos são barreiras psicológicas, medos, inibições, preconceitos e todo tipo de sentimento ou incapacidade que dificulta a busca da personagem pela realização dos seus desejos e vontades. Lembre-se que um conto erótico é muito mais que apenas sexo, ele tem que envolver o leitor com sua história.

MANTENHA O SUSPENSE

Toda boa história consegue manter o leitor interessado do começo até o fim. Há vários fatores que contribuem para isso, porém o mais importante é a capacidade de deixar o leitor curioso ou em suspense. Por mais previsível que seja sua narrativa, esforce-se para manter o desfecho em segredo até o final. Deixe o leitor descobri-lo por si mesmo.

Se puder, crie expectativas e pequenos mistérios. E evite, principalmente, revelar qualquer tipo de informação antecipadamente. Um erro básico e muito comum é contar o que irá acontecer logo no título ou na introdução do conto. Por exemplo, é fraco um começo do tipo: “Na história de hoje, irei contar como seduzi minha linda vizinha, e como a levei para um motel.”

Logo de início, o narrador revela que conseguiu o que queria, fazendo praticamente um resumo dos fatos que pretende narrar. O leitor já sabe, pelo menos, que houve um ‘happy end’, o que, convenhamos, é chato. Muito melhor seria, por exemplo:

“Desde quando ela veio morar na casa ao lado, não pensei em outra coisa: ‘essa mulher um dia será minha!’ Mas como seduzir uma mulher tão linda?”

Percebe o tom de incerteza e o ‘mistério’ nessa outra versão? As apas de ‘mistério’ é porque não estou falando de escrever um ‘conto de mistério’. É mais uma questão de fazer pequenas provocações à curiosidade do leitor. Ou, pelo menos, evitar dar ‘spoiler’.

UTILIZE LINGUAGEM ADEQUADA

Talvez a maior habilidade de um escritor é conhecer e saber usar as palavras. Isso pode parecer óbvio porque, afinal de contas, elas são a matéria-prima de quem escreve. Mas poucos levam essa noção a sério. Saber escolher as palavras mais adequadas é essencial para causar o efeito pretendido.

A linguagem deve se ajustar ao tom do texto. Por exemplo, se sua história é cômica, escolha palavras que soem engraçadas. Se é dramática, a escolha de palavras deve ser séria. Se o foco é mais erótico, não tenha medo de usar termos francamente obscenos. Caso se trate de algo romântico, é preferível ser mais sutil e delicado na linguagem.

Quando em dúvida, pesquise sinônimos e tente entender as diferenças de significado. Atente para o contexto em que quer usar a palavra e para as nuances de significado. Por exemplo, as palavras ‘rosto’, ‘face’ e ‘cara’ são sinônimas entre si, mas cada uma tem sua própria carga expressiva. ‘Rosto’ é uma palavra mais neutra; ‘face’ é mais delicada; e ‘cara’ é um pouco rude.

ESCREVA NA MEDIDA CERTA

Em quase todas as definições de “conto”, você vai ver que se trata de um texto curto. Mas quão curto? Tem um número de palavras que limite a extensão do texto? Não existe um limite exato.

Mas é importante que não seja longo demais, para evitar cansar o leitor. Por outro lado, deve ser rico de detalhes suficientes. Pior do que escrever em excesso, é compor uma história esquelética ou aleijada de partes e detalhes importantes. Uma das grandes dificuldades em se escrever um conto reside na tensão entre ter que dizer tudo, ser completo, e precisar ser conciso, usar tão poucas palavras.

Outro detalhe a ser levado em consideração: cuidado com excesso de palavrões. Quando pensamos em contos eróticos sempre palavrões nos vêem a mente, porém vá com calma para não tornar a linguagem muito vulgar. Também não precisa ser recatada para descrever a cena. Use o bom senso sempre.

EVITE ALGUNS ERROS

Alguns pequenos erros que escritores iniciantes ou menos experientes cometem com frequência são:

  • Anunciar, logo no início do texto, que se trata de uma ficção: Não se deve fazer isso porque o leitor quer sempre acreditar no que está lendo. O escritor deve se esforçar para fazer crer que sua narrativa é verdadeira. Ele deve buscar a “ilusão do real”.
  • Acelerar demais o ritmo: Às vezes o autor se precipita e o que, a princípio, parecia ser uma história bem escrita e envolvente se torna um resumo apressado de fatos, resolvendo abruptamente todos os conflitos e chegando rápido demais a um desfecho. Não tenha pressa! Omita o que não interessa, mas não pule as partes de transição, as explicações e descrições necessárias.
  • Alongar-se em detalhes inúteis: Só escreva sobre o que tem relevância e função. Se, por exemplo, o passado da personagem em nada influencia nos eventos narrados, esqueça esse passado. Comece por falar de fatos que estejam o mais próximo possível dos acontecimentos centrais da história.
  • Pense bastante nos diálogos, faça algo com nexo e lembre-se que raramente as pessoas fazem sexo em silêncio.
  • Evite também diálogos que não ajudam na progressão. Os diálogos são importantes, mas eles devem ter uma função; em geral, servem para caracterizar as personagens ou ressaltar um momento crítico. Não servem apenas para causar uma impressão realista; ao mesmo tempo que introduzem informação nova e importante, fazem a ação progredir também.

Para, finalizar, um último conselho: por mais chato que seja, é preciso corrigir seu texto. Os erros de escrita desmoralizam todo o seu o trabalho e causam uma má impressão. Se você acha que falar errado é feio, não vai negar que escrever errado é muito pior. Então vale a pena revisar o texto, dar uma espiadinha na gramática e ortografia e, com certeza, sua história ficará muito melhor!

Bom galera, espero que aproveitem as dicas acima! Agora esperamos o seu conto aqui no blog!

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorA Médica virou Paciente – Conto Erótico
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.