WhatsApp Loja Meus Fetiches

Sexo anal inesquecível não é todo homem que sabe fazer…

Mas eu conheci um cara que me deixou louca de tanto prazer!

Logo que me separei aos 29 anos, após 10 anos de casamento, tudo o que eu queria era sair dando por aí. Nessa época meu ex marido fazia hora extra na minha casa. Ele não havia se mudado ainda.

Nós   dormíamos em quartos separados e falávamos apenas o necessário, pois temos filhos juntos. Fazia uns 3 meses que eu não transava,  estava louca pra ter uma foda deliciosa, mais precisamente um delicioso sexo anal.

Uma amiga me sugeriu a internet e conheci um cara no bate papo da Uol. Trocamos ideia e marcamos para mesma noite no bar perto da minha casa.

Mas eu estava receosa,  com medo dele ser um maluco ou qualquer coisa do tipo. Mesmo assim assumi o risco.

Ele  estava à minha espera na porta. Era alto e magro, estendeu a mão pra me  cumprimentar. Assim que eu toquei seus dedos, ele me puxou para perto de seu corpo e me deu um beijo no rosto. Senti seu perfume masculino excitante…

Bem, considerei um bom sinal, gostei disso!

Sentamos, tomamos uma cerveja conversamos um pouco. Como o bar estava fechando, resolvemos dar uma volta na praia. A noite estava linda e enluarada…

E nós estávamos sozinhos na praia…

Ele me provocava, eu correspondia. Estava louca pra transar e cheia de tesão acumulado. Nós nos beijamos e aquele beijo na areia com a pegada na bunda me deixou molhada, completamente entregue nas mãos dele.

Claro que não via a hora de fazer sexo anal com aquele cara.

Decidimos ir pro o motel, não queríamos ser presos e só quem já transou na praia sabe que rala. Saímos dali e fomos o mais rápido possível para o motel.

Passamos pela porta do quarto, ele foi  tirando minha bolsa, minha jaqueta e me beijando toda. Ele me tirou do chão, fiquei apoiada na mesinha da entrada do quarto. Depois abaixou minha calcinha e lambeu meu sexo que já estava pra lá de quente… Chupou meu grelo, minhas pernas tremiam no salto alto e a mesinha balançava derrubando tudo.

Enquanto isso, eu rebolava na boca dele totalmente alucinada. Só depois que gozei é que fechei a porta do quarto que ainda estava aberta. Terminei de tirar a roupa, o vestido, os brincos e deitei na cama, enquanto ele deslizava os dedos no meu corpo nu.

Eu  me arrepiava e empinava a bunda pedindo por rola! Ele não pensou duas vezes, veio pra cima bem gostoso, meteu aquela pica dura na minha buceta de uma maneira deliciosa. Metia forte, parava e bombava algumas vezes, depois socava bem fundo me fazendo gemer.

Eu rebolava, ele batia na minha bunda. Estava tudo uma verdadeira delicia, mas ele não queria gozar. Ficou em pé na cama, segurou seu pau entre as mãos e eu, ajoelhada lambi todo ele. Ainda estava com meu gosto…

Comecei a engolir a rola toda. Isso deixou ele louco. Literalmente eu engasgava  com a pica na minha garganta! De vez em quando parava um pouco pra respirar, olhando nos olhos dele, bem safada.

Pedia pra ele bater com o pau na minha cara. Obviamente ele obedecia com a maior vontade do mundo. E eu chupava de novo bem gostoso até engasgar. Ele segurou a minha cabeça só pra ver onde eu ia aguentar,  aquilo me deixava excitada. Toda vez que ele tirava o pau babado da minha boca, eu ficava sem fôlego. Estava tomando surra de pica na cara de pica! Nunca tinha vivido isso!!

Fiquei de quatro pra ele. Senti  minha bunda arder com o tapa que me deu. Antes de eu gritar, puxou meu cabelo me fazendo empinar mais ainda e socou dentro do meu cu.

Foi tão rápido e forte que senti seu pau lá no fundo. Falávamos  obscenidades e quanto mais submissa,  mais excitada eu ficava. Estava me sentindo muito puta com aquele anal maravilhoso.

Continuou me segurando pelos cabelos e começou me foder mais forte. Eu gritava, ele me chamava de cadela. Metemos gostoso até ele gozar comigo, deitada e empinada.

Fomos   tomar uma chuveirada e acredite ou não, o macho já  estava duro atrás de mim outra vez. Quando casada achava o intervalo pra segunda a coisa mais demorada do mundo, uma eternidade!

Mas não com aquele macho que estava ali, durão atrás de mim, roçando na minha bunda outra vez.

A água caindo e enchendo a banheira, os beijos na nuca, as  mãos pelos corpos ensaboados…

Assim fui ficando com tesão novamente. Novamente ele comeu meu cuzinho apertadinho.

Claro que ele amou a ideia de repetir a dose. Nós dois, em pé dentro da banheira: eu apoiada na parede senti a cabecinha entrando com a bunda ensaboada. Rebolei devagar naquela rola, enquanto ele segurava minha cintura. Nossa! Como aquilo estava gostoso!

Olhava pra trás e via seu olhar fixo em mim. Ele tinha um olhar selvagem, penetrante, daqueles que te comem com os olhos. Até que socou tudo e eu gritei  gemi alto. Ele riu, me  olhou com um sorriso safado no rosto.

Gostou de me fazer sentir dor. Eu também gostei. Era aquela dor gostosa de prazer.

Sentia meu cuzinho sendo arregaçado sem dó. Eu me abri completamente e aproveitei cada instante. Até que o orgasmo veio novamente. Comecei a tremer, as pernas amoleceram e fui caindo aos poucos, sem forças.

Gozei mais uma vez com um sexo anal inesquecível. Este homem sabe comer uma mulher…

Conto erótico enviado por seguidora anônima

Aposto que você amou esta história… Continue aqui em nosso blog e leia este outro delicioso Conto Erótico com um tema que também vai adorar: Fetiche por Garota de Programa.

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAcaso do Destino
Próximo artigoBanheiro de Bar
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.