SexLog

Acordei por volta das 10h e notei que Valquíria não estava mais na cama. Imaginei que estivesse preparando o café.

Ao chegar na cozinha, me deparei com um prato bonito, recheado com ovos mexidos, torradas e um pequeno bilhete que dizia o seguinte:

Amor, desculpe, não pude lhe esperar para o café. Fui até a casa da minha irmã bem cedo, devo voltar de tarde. Beijos, te amo, ótimo café!

Tomei meu café e fui trabalhar. Por volta das 14h encerrei o expediente, como sempre fazia todos os Sábados. Eu trabalho em casa mesmo.

Sentei no sofá da sala e fui ver a programação da TV. Reparei o quanto aquele quintal estava quieto, já que dividíamos o quintal com mais um inquilino, o Roberto, um rapaz bem apessoado e falante. Passávamos horas as vezes batendo papo no quintal aos Domingos.

Saí para o quintal e vi que a casa de Roberto toda fechada também. Não havia ninguém. Resolvi voltar para minha TV.

Pouco mais das 16h ouço um barulho no portão de baixo. Imaginei que fosse Valquíria ou Roberto chegando. Saí para ver. Para minha surpresa, eram os dois juntos.

Do ponto de onde eu estava, podia vê-los, porém eles não me viam. Era uma escada alta e comprida. Valquíria veio subindo na frente e Roberto atrás. Vi como ele olhava para bunda de minha esposa. Fiquei um tanto quanto incomodado com isso.

De repente ela parou e fez uma coisa que me deixou completamente em choque, sem ação alguma.

Desabotoa a calça e abaixa um pouco a peça de roupa, só para mostrar sua tatuagem logo acima da bunda. Feito animal, Roberto abaixou rápido a calça dela e a beijou no meio da bunda. Ela gostou!

Não podia acreditar que minha esposa estava ali, com outro homem, meu vizinho, quase um amigo, esfregando seu corpo na cara dele, gemendo e sentindo prazer.

De alguma forma eu não conseguia fazer nada, não sabia porque fiquei parado assistindo. Acho que no fundo a cena me excitava.

Valquíria então se vira para Roberto e o ataca com um beijo sedento e rápido. Parecia que tinha pressa, não queria demorar muito.

Ela se sentou em um degrau e ficou na altura da cintura de Roberto, que já tinha seu membro explodindo de tesão. Abriu o zíper e parecia que via uma obra de arte. Admirava, cheirava, sentia todo o espaço de suas mãos preenchidos.

Sem muitas delongas, ela abriu a boca e chupou com vontade, como se nunca mais fosse ter outra oportunidade de ter um homem a sua disposição.

Roberto gemia de prazer, segurava minha esposa pelos cabelos, forçava seu membro enorme e rígido garganta abaixo, fazendo Valquíria sufocar com a boca toda preenchida. Ela segurava seu sexo pela base e depois cuspia, deixando-o mais melado ainda.

Ela então se levantou, virou de costas para Roberto e empinou sua bunda, ficando toda disponível para ele. Sem hesitar, Roberto penetrou de uma vez, com força, ela soltou um gemido baixo, mas forte, intenso.

Era possível ver o membro de Roberto entrar e sair por inteiro do sexo de Valquíria. Ela se contorcia de tanto prazer, estava gostando de estar ali. Estava nítido em sua cara. E eu estava completamente excitado de ver isso…

Roberto aumentou a velocidade, até que Valquíria, num movimento rápido, se ajoelhou novamente sobre aquele homem e abriu a boca. Recebeu todo o leite daquele macho.Fazia cara de deleite, enchendo a boca…Roberto se contorcia para não gemer alto. Sugou até a última gota de leite que havia saído daquele homem.

Ela levantou, deu um beijo em sua boca, se vestiu e começou a subir as escadas novamente. Voltei rapidamente para minha sala e fingi que nada tinha visto.

Roberto passou pela porta e me cumprimentou de longe acenando com a cabeça.Respondi com o mesmo gesto. Logo em seguida entra Valquíria toda sorridente, me dando bom dia atrasado. Veio, me deu um beijo na boca molhado, de língua. Não se preocupou com o gosto de outro macho que estava na sua boca. Pude sentir o gosto forte de Roberto. Já estava de p.. duro!

Ela então disse que ia tomar um banho e depois íamos ver um filme. Fiquei sentado na sala, com tudo aquilo passando pela minha cabeça, imaginando se foi a primeira vez e se ela sempre fazia isso.

Tinha muitas dúvidas, não sabia nem o que pensar direito… Mas de uma coisa eu pude ter plena certeza. De alguma forma, aquilo me agradou. E assim que ela saiu do banho, eu a devorei como nunca tinha feito antes…

Conto erótico enviado por seguidor anônimo.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorRelação Proibida
Próximo artigoQuase um flagra
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.