WhatsApp Loja Meus Fetiches

Eu havia montado um negócio na érea de alimentos, negócio esse que por várias razões não ia muito bem. Como eu anunciava o produto nas redes sociais, os clientes comentavam e faziam vários elogios.

Havia uma cliente que sempre comentava as postagens tecendo vários elogios ao nosso mix. Comecei a convidá-la para aparecer na loja e consumir nossos produtos, visto que se sempre deixou claro o seu gosto por nossos produtos.

Até aí tudo estava dentro do plano comercial. Ocorre que em virtude na baixa nas vendas, a convidei para uma reunião visando reunir ideias para melhorar o marketing da empresa, já que apresentava ótimas ideias.

Ela era uma garota de 22 anos, sorridente, morena, seios fartos e muito inteligente! Quando a vi pela primeira vez, meus olhos se dirigiram direto para os seus seios.

A reunião ocorreu de forma produtiva e ao final ela me ofereceu uma carona em sua moto, pois eu estava sem carro naquele dia. Apesar de a minha casa ser perto acabei aceitando a carona.

Era noite e ela me deixou no início da minha rua. Nos despedimos e antes que ela recolocasse o capacete eu dei um cheiro no seu pescoço . Percebi que ela deu um suspiro e se contorceu ao sentir o contato do meu rosto e o bafo quente que exalou dos meus lábios. Ato contínuo, seguimos cada um para o seu lado.

Como moramos em uma cidade pequena, não demorou muito para que ela chegasse em casa e me mandasse um mensagem fazendo alusão ao meu perfume e ao cheiro que lhe dei no pescoço. Disse que ficou toda arrepiada e que o aroma do meu perfume não saia das suas narinas, na verdade disse que estava impregnada com o meu cheiro.

Começamos a conversar mais vezes. Um belo dia ela me convidou para ir à sua casa. Combinou para que eu chegasse às 19H, pois seus pais sairiam justamente nesse horário para irem à igreja.

Como já havíamos ficado íntimos depois de tantas mensagens de texto e telefonemas, falei que gostaria que ela estivesse de vestido e sem calcinha ao me receber. Quando cheguei era exatamente assim que ela estava.

Usava um vestido floral curto e com um decote que deixava os seus belos seios à mostra. Dei-lhe um delicioso beijo e a apertei contra mim. Levantei o seu vestido e passei a mão na sua bunda constatando que ela era obediente, ou seja, estava sem calcinha. Fiquei louco com isso e meu pau quase saltou para fora da calça, tamanho era o desejo que aquela garota me provocava.

Continuamos com o beijo quente ao mesmo tempo que eu passava a mão pelo seu corpo. Ela estava perfumada com um óleo hidratante de “ameixa exótica” que acabou virando a sua marca.

Ficamos nos pegando ali mesmo na varanda, pois estávamos ávidos um pelo outro e seus pais chegariam em pouco tempo. Dei um cheiro no cangote deixando-a ainda mais excitada. Passei a mão e enfiei o dedo em seu sexo que já estava molhadinho e quente.

Eu me abaixei e comecei a beijar e a lamber aquela buceta cheirosa, toda raspadinha. Ela abria cada vez mais as pernas para receber a minha língua, com as mãos empurrava minha cabeça como se quisesse ser devorada.

Eu a chupava e ao mesmo tempo que minhas mãos passeavam por todos os lugares… Ela gemia e dizia coisas ininteligíveis a cada lambida.

Ela estava preste a gozar e pediu para que eu a penetrasse, pois queria sentir o meu cacete todo dentro dela.

Explodindo de tesão, me levantei e vi que havia na varanda uma antiga maca (daquelas usadas para fazer massagem). Empurrei-a para a maca, na qual ficou encostada no equipamento empinando o bumbum para mim. Levantei o seu vestido e comecei a enfiar o meu cacete naquela buceta deliciosa. Ela se abria as pernas e empinava cada vez mais, me deixando louco de tesão.

Quanto mais ela gemia, mais eu enfiava com força! A maca fazia um ruído terrível com cada movimento de entrada e saída que eu fazia. A falta de uso e lubrificação das partes móveis rangiam se misturando aos gemidos daquela garota que me pedia baixinho para enfiar cada vez mais.

Ela gozou deliciosamente após um espasmo e gritinhos de prazer. Seu corpo estremeceu e ela fez um movimento para trás que fez com que a o meu membro duro se enfiasse até o talo naquela buceta que pegava fogo.

Como eu ainda não havia gozado, ela me levou para o sofá da sala e me colocou sentado. Ainda de vestido, tirou os seios para fora e sentou sobre mim colocando aqueles seios fartos na minha cara que pareciam dois melões lindos! Comecei a chupar os seus peitos e ela montou no meu cacete fazendo movimentos ágeis de vai e vem!!! O cheiro de sexo exalava por todo o ambiente aumentando ainda mais o nosso tesão.

Ela colocava o seu peso em cima de mim e por consequência se enfiava todinha no meu meu pau. Estávamos suados e cheios de tesão. Ela pediu para que eu metesse o dedo no seu cuzinho enquanto a penetrava.

Ela gemia baixinho e quando entrou o dedo todo no seu ânus começou a subir e descer com mais intensidade dizendo que estava gostoso, que iria gozar… E poucos segundos explodimos em um gozo delicioso.

Ainda nos beijamos mais um pouco. Em seguida vesti a minha roupa e fui embora, pois não havia tempo para um banho. Seus pais chegariam em breve. Fui embora melado, suado e com aquele cheiro de “amêndoas exóticas” nas minhas narinas.

Conto erótico enviado por T. B.

Masturbador

COMPARTILHAR
Artigo anteriorBalada Liberal
Próximo artigoA Médica virou Paciente – Conto Erótico
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.