Que coisa boa é curtir bate papo agradável com amigos e sair à noite. Por que não? Agitação e alegria fazem bem para alma. Dependendo da situação, para os olhos também! Muita gente diria que Helena deveria ficar em casa fazendo tricô e assistindo televisão, afinal já passou da casa dos cinquenta. Estava na tal melhor idade. Mas seu espírito é jovem demais para ficar mofando em casa.

Como toda mulher bem resolvida, procurou não deixar abater-se pelas tristezas da meia idade. Uma noite em especial, foi com uma amiga a um bar muito popular de sua cidade. Jogaram conversa fora, observaram muitos jovens no seu “habitat natural”, seus comportamentos, suas roupas, suas músicas… Uma maneira de ficar a par das coisas. Sem maiores preocupações, as duas aproveitavam a noite de maneira tranquila.

De repente, um deles chamou atenção de Helena porque não parava de encará-la. Parece que já tinha visto aquele rapaz em algum lugar. Não pode deixar de notar aquele corpo forte, alto, pele morena e com cabelos displicentes na testa. Um charme! Estava bebendo com amigos. De vez em quando, era surpreendida com seus olhares nem um pouco discretos. Pouco tempo depois, foi à mesa onde estavam as duas. Helena não esperava por isso. Com aquela velha conversa “já nos conhecemos?” e sorrisos por todos os lados, começou um gostoso flerte entre os dois. Ela até tentou desencorajá-lo, mas a sua persistência era agradavelmente gostosa. Ressuscitou até o seu velho argumento “sou avó!” e nem isso adiantou. Acho que isso o excitou mais ainda. Porque será que homem mais novo gosta de mulher mais velha?

Logo em seguida, a amiga foi embora e ficaram apenas os dois. Até os amigos dele foram abandonados, todos com aquela cara de interrogação.

Tomaram alguns drinques, conversaram por umas três horas mais ou menos. Ficaram sabendo que moravam próximos e tínhamos amigos em comum, por isso aquela impressão de “déjà vu”. Aos poucos, este encanto rude do rapaz acabou por tocar seu ego. Ele disse que adorava mulheres mais velhas e que já a observava há tempos, mas Helena nunca havia notado sua presença. Realmente ela nunca olhou para um jovem com estes tipos de pensamentos que estava tendo agora… A conversa passou de casual para sensual em pouco tempo. Ele sabia jogar com as palavras e sua aparente inexperiência a deixou curiosa. Foram dar uma volta… Trocaram alguns beijos pra lá de quentes no carro! Era um beijo urgente, meio nervoso. Imediatamente o beijo tomou outros rumos. Suas mãos fortes desceram pelas suas coxas e foi em busca de seu lugar mais quente… Que a esta altura estava pedindo para ser saciada o quanto antes. Seu lado fêmeo aflorou com tal força que Helena se surpreendeu consigo mesma ao retribuir suas carícias. Aquele menino mexeu com suas estruturas!

Mesmo sabendo de algumas consequências, resolveu sair com este garoto para um dos raros casos de uma única noite na sua vida. Não tinha ideia do que ia acontecer, mas estava disposta a descobrir. Foram para aquele local onde todos os pecados são cometidos sem o menor sentimento de culpa. Ele ficou admirado com ela; talvez estivesse diante de sua primeira mulher mais velha. Estava extremamente excitado, não tirava os olhos dela. Isso fez Helena sentir-se má! Sem essa de que estava com vergonha do corpo, com receio da sua idade e todas essas outras inseguranças bobas. Tinha um corpo bem cuidado, seios fartos e firmes, seu maior trunfo físico. Estava na hora de tirar partido disso!

Ele ficou nu diante dela. Corpo esbelto, cheirando frescor da juventude e aquele membro tamanho família! Ela não esperava ver isso neste garoto! Uma deliciosa surpresa… Acomodou seu sexo em seus seios, fazendo insinuantes movimentos de vai-e-vem. Se antigamente era reprimida por este tipo de atitude e tinha medo de se soltar, agora se sentia a vontade em fazer isso com ele. Provou do seu gosto deliciando-se naquelas linhas retas e eretas e ele entrando em êxtase. Cada pedacinho daquele corpo musculoso conheceu sua língua. Ele, por sua vez, começou a explorar todas as suas zonas erógenas. Sentia aqueles dedos brincando dentro dela. Disse que se sentia descobrindo “novas terras”… Realmente foi uma delícia ficar deitada, deixando que ele fizesse tudo. Procuraram camisinha pelo quarto, muita excitação na hora de colocar… Quando ele finalmente a penetrou, sentiu ondas de prazer invadindo seu corpo. Era estranho e ao mesmo tempo muito bom ter alguém tão jovem. Parecia que ele não conhecia cansaço! Quanta disposição! Talvez essa seja a melhor idade dele… O garoto era um amante nato! Fez amor de um jeito que Helena sempre sonhou.

Antes que ele soubesse o que estava acontecendo, ela ficou tensa devido aquela imensa carga de tesão e se satisfez. Teve um orgasmo maravilhoso. As contrações foram violentas, fortes, gostosas. Ele quase nem acreditou quando aconteceu. Via-se satisfação em seu rosto. Ele demorou bem mais tempo para atingir o ápice… Foi muito além do que ela imaginava. Até o momento que explodiu num longo orgasmo… Sua ereção ainda pulsava dentro dela. Tinha um brilho diferente em seus olhos…

Os dois ainda ficaram um bom tempo juntos abraçados. E repetiram a cena outras vezes durante a noite. Quando estavam saindo do motel, Helena foi surpreendida pelo seu pedido: “Vamos nos ver outra vez? Não podemos ficar apenas nesta noite.” Viu sinceridade em seu olhar!

Embora achando que tinha sido uma experiência deliciosa e nada mais, viu nele uma nova sensação de vida… De certa forma, rejuvenesceu com ele. Às vezes, é preciso se arriscar para gozar a vida, literalmente.

E ali começou aquela história…

Autoria: Conto erótico escrito por Alessandra A. (Baseado na história de G.B.)
Fonte Imagem de Capa: Reprodução / Facebook
Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.