E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais

Sempre fui ligado em situações que a mulher aparece eroticamente vestida com sandálias de salto, abertas e altíssimas, meias finas transparentes, calcinhas minúsculas e vestidos justos com aberturas laterais.

Realmente era uma mulher de corpo perfeito, pernas bem torneadas, um rosto angelical, mas, ao mesmo tempo, sensual e provocante.

Ficava sentado ,observando minha professora da faculdade que fazia tudo para excitar os seus alunos.E ela fazia isto com elegância.

No início eu apenas olhava e ficava excitado com aquele par de pernas. Com o tempo ela foi tomando mais liberdade comigo e o visual ficou mais provocante.

Um dia, ela disse que queria falar comigo após a aula. Fiquei imaginando mil coisas, até mesmo uma suspensão ou expulsão.Minha surpresa foi maior quando ela avisou que teria de fazer aulas de reforço… com ela, pois existia a possibilidade de eu reprovar naquela cadeira.

Aceitei, pois não queria reprovar , mas também desconfiei, porque foi só eu que ela chamou para conversar. Ela marcou para o outro dia , na biblioteca do bloco novo do complexo universitário.

No outro dia, à tarde ,estava pontualmente na biblioteca.Surpreendentemente, não havia ninguém naquele bloco,aquela parte ampliada não havia sido inaugurada ainda , e estava vazia.

Fui até a nova biblioteca. Abri a porta devagar … entrei.Lá estava ela!De certa forma , parecia outra pessoa ( e não minha professora), pois seu olhar era diferente , para comigo.

Ela estava toda de preto, com um vestido justo, um pouco mais curto do que o habitual, sandálias pretas de saltinho, meias pretas finíssimas. Seu vestido deixava transparecer as rendas do corselete, as ligas e as meias.

Minha excitação foi tamanha que não consegui disfarçar e ela percebeu.

Ela era uma mulher jovem , porém ,muito objetiva.Perguntou o que eu gostaria de ver e também o que pretendia fazer comigo. Como não respondi, ela foi tirando o vestido e ficando apenas de corselete, meias, calcinha e sandálias.

Não aguentei e comecei a me tocar e quanto mais eu me masturbava, mais ela se remexia, esbanjando erotismo.

Só de meias e cinta ligas, ela veio ao meu encontro e começou a me lamber, mais precisamente minha virilha(sim, já estava com as calças arriadas neste momento),parando um bom tempo nos meus testículos, depois no meu membro… ia da raiz até a ponta da cabeça,chupando, molhando com aquela língua afiada.

Seus movimentos com a boca se intensificaram e comecei a ficar muito excitado.Percebendo que eu ia gozar, ela mandou que o fizesse em seu rosto, pois adorava lamber o sêmen.

Gozei na sua boca e no rosto… atirei a cabeça para trás, respiração forte e sentado na cadeira . Pensei que a brincadeira tinha acabado ali. Mas, para meu espanto, voltou ( não sei da onde)com uma sandália de salto alto e calcinha de renda. Isto foi suficiente para que o mastro ficasse intumescido novamente.

Agora, com visual diferente. Ainda sentado,se abaixou e começou a chupar meu sexo desgovernadamente. De repente levanta , virou de costa para mim, pegou  ele com a mão direita e guiou o meu membro até o seu sexo. Mexendo seguidamente com sua bundinha arrebitada, contorcendo-se, apertando com seus lábios vaginais.

Começa a cavalgar.Cada subida que ela dava, na volta sua bundinha engolia todo o mastro, extremamente duro de tesão pela mulher.

Segurei em seu quadril com firmeza, e sincronizei meus movimentos com os dela. Senti meu corpo formigar, porque meu orgasmo estava perto.

Peguei nos seus cabelos negros com uma mão e a outra permanecia na cintura. Intensifiquei para que ela gozasse, dali uns minutos ela gemeu alto e estremecia de prazer…

Vendo que ela estava em total gozo , fui ao delírio também.

Logo após , vi que ela tinha tudo preparado, trouxe lenços umedecidos . Limpou seu sexo e o meu, metodicamente. E como nada tivesse acontecido, pediu para voltar na sala de aula para eu assistir o último período.

Ela ficou arrumando suas meias e sandálias de forma minuciosa.

Nem preciso dizer que não prestei atenção na aula. Cheguei em casa destruído.

A partir daquele dia, sempre que ela tinha oportunidade(eu também!) nos beijávamos na escada, cantos , na hora do intervalo…

Dia desses ela entregou minha prova com um “A”, acompanhado de um bilhete escrito “quero você de novo .

Fonte:Conto erótico enviado por um seguidor anônimo.

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorVida de voyeur
Próximo artigoPeão bruto
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.