As vezes gosto de ir em baladas. Certo dia, minhas amigas ligaram e fizeram o convite para ir numa balada com muita música eletrônica.

Tínhamos um problema: os ingressos que ainda tinham , era para cliente VIP, ou seja , muito caro para meu bolso.Supostamente, não podíamos entrar. Lembramos que, sempre depois da meia noite os seguranças deixavam entrar. Então resolvemos tentar.

Coloquei um vestidinho preto bem coladinho, uma lingerie preta de rendinha. Estava me sentindo linda.Um salto alto completava o visual baladeiro.

Nos encontramos na esquina de minha casa e fomos.

Quando chegamos, tinha alguns seguranças na entrada conferindo a carteira de identidade e pulseiras. Não era o momento, mas mesmo assim decidimos tentar.Cada uma tentou em um segurança.Elas conseguiram…eu não.

O segurança que tentei, não me deixou entrar e minhas amigas disseram que iam me esperar lá dentro. Eu concordei e percebi que o segurança era muito forte e tinha um volume considerável , marcando aquela calça de uniforme.

Acredito que eu não soube , disfarçar muito bem… e ele percebeu. Chegou perto e disse no meu ouvido:” você é muito gostosa”. Fiquei com vergonha, mas louca de tesão.

Me senti desejada!

Estava louca para sair com alguém , pois só eu ,entre minhas amigas, transava pouco ou quase nada…praticamente uma virgem.

Então eu disse:”a gostosa pode ser sua”. E sorri. Bastou eu falar isso, pra ele ficar doido.Ele estava tão próximo que podia ver seu membro ficar duro dentro de sua calça.

Ele disse para eu esperar, falou com outro segurança para ficar em seu lugar. A desculpa foi que ele sairia para resolver uma coisas.

Festa eletrônica tem disso: um grande ambiente para acomodar a multidão.Caminhamos em direção a um galpão. Fui na frente , ele apenas me guiava , mandando eu rebolar.

Chegando lá, me agarrou de um jeito…nossa!

Começamos a nos beijar loucamente. Ele passava a mão nos meus seios e mexia no biquinho do meu peito, por cima do vestido. Isso me deixava louca.

Bruscamente ele disse: “tira essa roupa, quero te ver melhor”.

Nisto,ele tirou a camisa, mostrando um corpo sarado e forte. Fiquei de costas pra ele, somente de calcinha e soutien. Procurei ficar  bem empinada, apoiada com as mãos em um balcão velho.

Ele levantou meu vestido, tirou minha calcinha. Logo após abaixou a parte de cima de meu vestido , começou a lamber e chupar meus peitos. Apertava meu peitinho, lambia o biquinho e eu gemia muito.

Foi descendo, lambendo meu sexo. Eu pedia para ele chupar o meu clitóris. Ao ouvir isso ele ficou louco.

Tirou de dentro da cueca um mastro liso e firme. Puxou meu cabelo e botou aquele pau na minha frente e eu comecei lamber a cabecinha, depois engoli quase todo. Lambi seus testículos, da mesma forma em que ouvia ele gemer de tesão.

Ele me segurou pelos braços e me colocou em cima de uma mesa, abriu minhas pernas e colocou o mastro duro forçando minha entradinha.Reclamei que estava doendo… tentei sair daqueles braços fortes.

Um tanto irritado , ele fala num misto de sensual , debochado e carinhoso:”você provocou, agora só sairá daqui depois que liberar este corpinho“.

Forçando a entrada, pois era grosso. de repente passei a sentir um calor subindo.Entrou a cabeça do mastro no meu sexo,e ele gritou de tesão.

Colocou de vez e ficou com ele imóvel dentro de mim . Seguiu com movimentos de vai e vem, devagar. Eu já delirando…

O ritmo foi acelerando, ele enfiava cada vez mais forte. Debruçou em cima de mim, e começou a me beijar. Sentia ele dentro de mim, deslizando.

Eu gozei naquele mastro gostoso. Quando ele tirou de dentro de mim, colocou na minha boca e gozou, mandou engolir, e lamber ele ainda sujo de gozo.

Ele ficou um tempo em cima de mim e disse o quanto eu era gostosa , mas , agora, ele queria em um lugar mais calmo. Iria me levar para outro lugar.

Quando estava perto da saída, ele pegou meu braço e arrastou para uma espécie de escritório.Dei mais uma mamada caprichada , passava a pontinha da língua dos testículos até a cabeça. Enfiava ele todinho na boca.

De repente ele me vira de costas contra a parede,coloca a calcinha de lado e coloca seu pênis dentro de mim e soca repetidamente, até que nós dois entramos num gozo , quase juntos, pois a iminência de sermos descobertos, dava mais tesão.

Essa foi uma noite inesquecível. Até hoje me pergunto como tive tanta coragem, mas posso afirmar que a sensação de perigo é a melhor de todas.

Fonte:Conto erótico enviado por uma seguidora anônima.

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorSimplesmente amante
Próximo artigoHoje tem homem em casa
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.