E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais

Pedi para minha ex- esposa para dormir uma noite na sua casa, pois teria um voo pela manhã. Não queria sofrer com o trânsito matinal de São paulo e arriscar chegar atrasado em meu compromisso no Rio de janeiro.

O voo era ao meio dia , mas preferi dormir na sua casa, pois a queria mais uma vez.

Já estava acomodado no quarto excedente.Ás quatro horas da manhã,acordo e vou até o quarto e fico observando seu lindo corpo deitado , com a bunda empinada… parecia me chamar, implorar por um carinho. E foi o que fiz.

Comecei acariciando de leve, enquanto minha boca dava, pequenas, mordidas em sua nuca. Não queria acordá-la, queria que fosse acordada sem susto.Fazer sentir meu corpo se esfregando no dela.

Acordou se arrepiando e meio que gemendo. Com um tesão que vem surgindo devagar.

Minhas mordidas agora ficaram um pouco mais fortes e intercaladas entre a nuca e a orelha . Minha respiração ficou forte e respirei próximo da sua orelha. Minhas mãos  começam a explorar o meio de suas pernas, ainda por trás.

Está quente e úmida. Puxo a calcinha para o lado e meu dedo desliza através dos grandes lábios, facilitado pelo líquido que lubrificava a entradinha . Entra sem qualquer dificuldade e nessa hora o beijo é inevitável.Línguas explorando bocas.

Paro de  beijar, seguro forte seus cabelos e me coloco atrás dela, abrindo mais suas pernas. Solto seus cabelos . Seu corpo se coloca  de quatro, o suficiente para que minha língua escorregue por toda a extensão do seu sexo, terminando bem na entrada do seu ânus .

Ela geme quando sente minha língua… ela geme. Então,junto ao gemido, um tapa forte e certeiro. A marca surge juntamente com um novo gemido. Mais uma lambida, dessa vez mais devagar, e mais firme.

Ainda lambendo e chupando, me posiciono por baixo. Onde, nessa posição, consigo chupar melhor e alcanço quase toda a extensão de seu sexo. Fico me deliciando,enquanto seu corpo reage.

Nesse momento  está entregue e de quatro, esperando que eu entre.Me arrasto por baixo. Chego aos seus seios, começo a chupá-los e mordê-los, dando atenção aos bicos salientes.

Nesse momento meu mastro está encaixado na entrada do seu sexo, enquanto beijo seus seios. Sua gruta molhada engole meu mastro devagar.

Seguro firme seus seios com as duas mãos e aperto um contra o outro.Ela enlouquece e começa a cavalgar forte, rebolando.  Seguro seus cabelos com a mão esquerda e com a direita bato na sua bunda enquanto falo ao seu ouvido: “Continue a rebolar,  não pára, enquanto eu não gozar”.

Ela rebola,enquanto beijo sua boca e exploro com as mãos as suas costas. Subo até a sua nuca e seguro firme mais uma vez nos seus cabelos.Enquanto deslizo minhas mãos, mais uma vez ,para os seus seios, apertando-os bem forte.

Seus gemidos ficam mais intensos e fortes. Sua respiração avisa o seu orgasmo, enquanto seu corpo se descontrola.

Ver gozar me dá um tesão.

Em meio à sussurros, gozamos.Ela fica molinha em meus braços, se joga em cima de mim,enquanto a beijo.

Foi por isso, por este momento,  que eu aguardava tanto.

Não nos reconciliamos, mas com certeza, fechei com chave de ouro um relacionamento que relembro com carinho.

Fonte:Conto erótico enviado por um seguidor anônimo.

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.