Vou contar um relato excitante que aconteceu comigo não tem muito tempo. Eu moro em um prédio com minha irmã. Onde o condomínio é bem organizado.Um dia chegou um porteiro novo no prédio. O antigo pediu afastamento do trabalho e neste ínterim foi contratado Roberto. Um homem na faixa dos 40 anos. Os cabelos grisalhos já começavam a aparecer e era meio gordinho. Eu sempre tive o maior tesão em homens maduros e achei ele um gato.

Estava sozinha em casa , pois minha irmã tinha viajado com o namorado. resolvi dar uma saída para uma balada, mas bebi um pouco além da conta. Ao voltar para casa quase não consigo subir as escadas. Roberto veio me ajudar e fez piadinha perguntando se eu precisava de ajuda. Meio sonolenta , mas ligada, respondi:

– Estou um pouco tonta e acho que vou precisar da sua ajuda. Acho que vai ser difícil subir até meu apartamento com esse salto.

Subimos juntos no elevador. Educado, ele abriu a porta pra mim. Medo e tesão passaram pela minha cabeça cheia de álcool naquela hora.E ele me olhou cheio de malícia e de uma forma bem safada. Mesmo assim deixei ele entrar. Antes de sair ele me colocou no sofá.

Mesmo tendo bebido, notei que ele olhava minha calcinha e meus seios.Depois disso fiquei pensando nele.

Não queria dar corda, mas depois desse dia, ele puxava conversa comigo, se oferecia pra me levar em casa quando eu voltava das baladas.

Um dia, aproveitei que minha irmã ia viajar e chamei uma amiga da faculdade para tomarmos algumas cervejas no apartamento.Acabamos por se empolgar e aumentei muito o som. Logo o porteiro subiu para falar comigo e pediu para abaixar o volume.

Notei seu olhar percorrer meu corpo todo. Fiquei arrepiada e senti meu sexo ficar ensopado de tesão. Pedi desculpas e baixei o volume do som. Convidei a tomar uma bebida conosco mais tarde. Ele agradeceu e foi embora . Na saída deu uma piscadinha safada pra mim. Continuei curtindo minha noite, mas minha amiga recebeu a ligação que estava esperando e saiu com o cara.

Sozinha , fiquei fitando o teto e pensando no Roberto. Meu tesão aumentava mais, sentia meu clitóris doer e latejar de tanto tesão. Masturbar não aliviava tanto minha vontade, eu queria mesmo era  transar. Como a bebida me deixava mais desinibida eu liguei para a portaria e pedi para o porteiro subir.

Fui no banheiro. Retoquei a maquiagem,arrumei a roupa e meus cabelos.Queria ficar apresentável para quando ele subisse. Não demorou ele já estava na minha porta.

Cumprimentei ele e perguntei se queria tomar uma bebida comigo. Ele pareceu em dúvida e com receio que algum inquilino chamasse na portaria e ele não estivesse.Não queria perdê-lo, então eu disse:”dá só uma olhadinha no meu chuveiro, acho ele muito quente e não sei mexer”.

Ele entrou, mudou a regulagem. Pedi pra ele ir na cozinha pegar uma garrafa de vinho e trouxesse pra eu ver se era a garrafa certa.Era um presente.

Enquanto isso, tirei minha roupa bem rápido e fiquei peladinha . Liguei o chuveiro, me molhei e desliguei pra ele não ouvir o barulho. Ele já estava resistente, talvez não entrasse.

Assim que ele me viu nua, ficou envergonhado, mas com muito tesão. Peço pra ele trancar a porta do banheiro. Ele trancou e ficou parado me olhando. Saí do box do banheiro e peguei a mão dele e coloquei nos meus peitos.Nessa hora vi  formar um volume enorme no uniforme.Fiquei doida imaginando que tamanho teria aquele pau.Passei a mão por cima da calça e comecei a acariciar,  esperando sentir todinho na minha boca.

Ele parecia satisfeito enquanto eu o acariciava e perguntava se eu gostava de tocar e ver aquele pau grosso. Pediu para colocar ele para fora. Eu obedeci. Abri o zíper, coloquei o pau dele pra fora e coloquei todo na minha boca. Nesta hora escorria tesão pelas pernas.

Ele elogiava e incentivava a chupar mais, colocando a mão na minha cabeça. Senti que ele iria gozar, então eu parei de chupar. Tirei o resto da roupa dele e vi pela primeira vez seu corpo. Precisava sentir aquele corpo em mim.

Chamei ele para o banheiro. Tomamos um banho enquanto ele me pegava por trás. Perguntei se ele tinha camisinha, ele riu e disse que já havia comprado ,especialmente, para nós.

Ele saiu e pegou a camisinha na carteira. Colocou e voltou para o chuveiro.Ganhei um abraço por trás,  me pegou  forte e começou a roçar seu membro na entrada da minha bundinha. Eu empinava cada vez mais e acabei virando de frente. Dei um grande beijo nele,então levantou minha perna e meteu com tudo em mim.Com uma vontade!

Ele se deliciava dentro de mim e elogiava o quanto ela era apertada a ponto de seu membro ter dificuldade em entrar. Convidei a sair do banheiro e irmos para a cama, onde poderia usufruir com calma daquele corpo.

Deitamos na cama.Ele subiu em cima de mim e começou a transar feito um animal,enquanto falava muita sacanagem.Ele sussurrava:” Eu senti tesão por você desde aquela madrugada que  eu vi você com a saia erguida mostrando tudo. Fiquei doido e tive que bater uma punheta”.Ai, adoro ouvir sacanagem!

Ele metia gostoso.Eu gemia feito louca, estava quase gozando então ele pediu se eu deixava ele me  comer de costas. Disse que era uma fantasia dele em pegar uma novinha que tivesse a bunda gostosa pra comer sua bundinha.

Já havia dado uma vez e doeu.Reclamei que o mastro dele era grosso e ele iria me arrombar. Ele prometeu ser carinhosos e colocar devagarinho.Começaria com o dedo para  eu ir me acostumando.

Diante disso eu fiquei de quatro.Ele enfiou o dedo dele (era bem grosso e áspero) devagar e depois foi aumentando o ritmo enquanto batia no meu rabo com a outra mão e mandava eu rebolar no mastro dele.Essa fala me deixou mais molhada e fez co que eu ficasse mais empolgada. Ele notou  e começou a empurrar a cabeça da pica. Arrancando um grito. Logo ele colocou a mão na minha boca e disse pra eu ficar quietinha, que os vizinhos poderiam ouvir. E continuou empurrando devagar até entrar todo.

Eu me senti rasgada.Estava doendo tanto que eu não ia aguentar nem que ele tirasse de dentro, imagina ficar se movimentando.Mesmo assim ele continuou e a mim restava controlar a dor. Eu reclamava que não estava suportando e ele pedia para eu relaxar que seria melhor para sentir prazer.Ele se deliciava.

Ele foi metendo e eu ali aguentando firme, até que ele acelerou com força. Antes que eu pudesse gritar ele colocou a mão na minha boca de novo e continuou socando bem forte.

Nessa hora estava rolando um misto de dor e prazer. As lágrimas desciam, mas ele não parava e ficava me xingando de vagabunda gostosa. Ficamos daquele jeito até ele gozar.Depois ele foi tomar um banho rápido.

Quando ele saiu me deu um beijo e disse que mal esperava pelo próximo encontro. Desceu e continuou o seu trabalho.

Tudo isso valeu muito a pena, porque nunca havia transado com alguém com aquela experiência em anal. Depois daquele encontro sempre peço para o Roberto fazer como na primeira vez…

Conto erótico enviado por uma seguidora anônima.

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorAdoro provocar – Conto Erótico
Próximo artigoO amigo do meu filho – Conto Erótico
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.