Fui bastante namoradeira no passado.Não me arrependo nenhum pouco. E dentre os casos que lembro com tesão e água na boca é das minhas saídas com o Cristian.

Tínhamos sido apresentados por amigos em comum, resolvi dar uma “chance”. Se eu soubesse que a chance seria este homem, teria dado antes.

Nós não namorávamos, era apenas sexo.

Um dia fomos dar um passeio em um parque bem arborizado num dia de semana que não tinha muito movimento. Cris era ex modelo.Era um homem magro,alto, ombros largos.E eu no meu auge do meu 1,60 metros, mignon, cabelo comprido, seios empinados e bunda redonda.

Sentamos a beira de uma árvore.Conversamos trivialidades. De repente vi que ele estava parado fitando meu rosto. Isto me causou rubor. Ele chegou perto e pude sentir sua boca molhada e quente enquanto tremia de tesão.

Descobri sua excitação logo, pois minha mão passou rápido na sua virilha. Não conseguia me desgrudar ou parar de alisar aquele pau maravilhoso.

Então…ele me beijou intensamente com as duas mãos sobre os meus seios. Senti seus dentes. Ele beijou meu pescoço onde as veias palpitavam. Enquanto ele me beijava, me despia a parte de cima.A roupa caiu em volta e meu sutiã  ficou a  mostra . Eu… semi nua naquele parque.

Fui dominada pelo desejo de ser inteiramente possuída.

Ele me estimulava com carícias, com uma agilidade manual que beirava a masturbação. Minhas mãos circulavam em torno do pênis, com minhas hábeis pontas de dedo que tornava em seu nervo.Em resposta ele endurecia mais. Os dedos fechavam-se lentamente sobre o pênis.Primeiro afagando a carapaça de carne, depois sentindo ele latejando. Sentindo o membro intumescido e a rigidez dos músculos.

Isso já estava beirando a loucura. Eu super excitada de ver ele daquele jeito… tão submisso a mim.

Falei baixinho “agora Cris, coloca em mim”.

Eu montada em cima dele, me arrumei e encaixei seu pau dentro de mim. Um movimento de vai e vem louco. Cavalguei em cima daquele pau até gozar e estremecer. Senti e ouvi que ele estava gozando também. Trêmula olhei para baixo, ele sorria e murmurava o quanto nós éramos loucos de estar num lugar aberto a mercê de curiosos.

Por um momento esqueci deste detalhe e ri também. Logo me arrumei e sai de cima dele. Dei um beijinho, peguei na mão dele e saímos do parque.

Este relacionamento de sexo casual durou 3 anos, até ele casar. Ainda suspiro quando penso nele. Não nos vimos mais.

Conto erótico enviado por uma seguidora anônima.

E então, gostou deste texto? Comente logo abaixo o que achou desta aventura.
Quer ver seu texto publicado aqui em nosso blog?
Convidamos você para visitar nossa página no FACEBOOK 
e também nos acompanhar através do INSTAGRAM.
Diariamente muitas novidades para você!