E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais

Todo mundo tem uma história proibida para contar. Eu não poderia ficar de fora dessa. Aliás, a minha história, além de proibida, foi um tanto arriscada. Mas valeu muito a pena! Quer saber?

Uma vez entrei nesses sites de encontros. Movida pela curiosidade e excitação, troquei mensagens por um bom tempo com um homem estranho. Nunca trocamos fotos, nem nada parecido. Apesar das conversas que tivemos, não sabia quase nada dele, a não ser que era casado (detalhe: hoje não é mais!).

Marcamos um encontro para finalmente nos conhecer. Ele viria até minha cidade. Passei meu número de celular e endereço de minha casa.

No dia do encontro não sabia o que era maior: o medo, a adrenalina, a euforia ou o receio de me decepcionar profundamente. O risco era muito alto. Ainda assim, estava disposta a arriscar, pois queria muito conhecê-lo!

Ele me ligou. No primeiro instante meu coração disparou só de ouvir a voz dele. Disse que estava vindo e perguntou se eu estava pronta. Respondi que sim!

Como era de se esperar, me produzi toda para ele! Coloquei a lingerie mais sexy que tinha (um conjunto vermelho lindíssimo, perfeito para ocasiões especiais). Depois vesti uma calça jeans, uma blusa decotada e, claro, um salto alto de arrasar quarteirão. Cá pra nós, eu me sinto mais poderosa de salto alto!

Então peguei minha bolsa com alguns brinquedos e apetrechos e fiquei esperando. Na hora combinada ele chegou de moto. Eu estava toda linda! Pela expressão que ele fez, percebi que ficou encantado ao me ver. Adorei isso!

Após os primeiros sorrisos para quebrar o gelo, nos apresentamos e ele perguntou onde iríamos. Sinceramente, eu não tinha a menor noção do que indicar pra ele. Apenas disse que estava com fome.

Como era sábado depois das 13 h não tinha quase nenhum comércio aberto. Para não ficarmos vagando à toa, sugeri de irmos ao Mac Donalds. Era a primeira vez que eu ia no Mac!

Após o lanche e as conversas triviais, ele disse: “Onde vamos agora? Você é meu GPS! Não conheço nada aqui.” Chegava a hora de ir ao que realmente interessa! Perguntei onde ele gostaria de ir. A resposta era óbvia: ir para um lugar mais reservado, deitar um pouco, descansar, pois estava com as costas doendo….(sei! rs)

Guiei ele até o Motel que tem perto de casa. Afff… Que arrependimento! Havia esquecido o quanto era tenebroso e fétido aquele Motel! Assim que entramos sentimos aquele cheiro horrível de mofo e cigarro. Decepcionados, voltamos à recepção, devolvemos a chave e fomos embora dali.

Disse que tinha outro motel bem melhor, porém era longe. Ele disse que não havia problema algum. Gostei do desprendimento dele. Então dei as coordenadas até o próximo Motel e partimos novamente.

Assim que chegamos, ele já solicitou um quarto espelhado com ar condicionado. “Nossa! Bem melhor!” Soltou esta frase logo que abrimos a porta da suíte.

Logo tirou a roupa e foi tomar um banho, pois disse que estava muito suado. Eu fiquei só observando através do box. Estava doida para entrar no banho com ele, mas preferi ficar deitada na cama, esperando por ele.

Não demorou muito, ele saiu do banho todo cheiroso, molhado, somente com a toalha enrolada na cintura. Inclinou-se sobre meu corpo, me deu um beijo que logo me deixou acesa. Retribui com o maior prazer!

Beijo vai, beijo vem… E aquela barba gostosa roçando no meu pescoço, me deixando doida! Aos poucos ele foi tirando minha roupa, peça por peça, meu salto, até ficar tão somente com a lingerie.

Ele adorou me ver assim! Não conseguiu conter um “Uauuu! Como você é linda! Tudo “ão” em você: peitão, bundão, coxão, pernão!” Confesso que fiquei meio envergonhada, mas adorei todos aqueles adjetivos!

Levantei da cama para buscar minha bolsa. Peguei um óleo, coloquei nas mãos, esfreguei uma na outra para aquecer o óleo e passei no corpo dele. Fui massageando delicadamente, alisando ele na medida certa… Até pra dar uma distraída e não ir logo para “os finalmentes”.

A massagem foi completa, de ponta a ponta! Depois virei ele de costas e continuei. De repente, ele pergunta se acabou. Respondi que sim. E lá veio a seção de beijos novamente. Que beijo gostoso ele tinha! Fazia muito tempo que não beijava tão gostoso daquele jeito.

Depois foi a vez dele me tirar do sério! Tirou meu sutiã, beijou, lambeu e mamou meus seios. Passava a barba deliciosamente em meu pescoço… Eu delirava com isso! Até que foi descendo, descendo…Beijando minha barriga, minhas pernas, que delícia!

Tirou minha calcinha e chupou com muita vontade, me deixando toda molhada de tesão! Chupei também ele de um jeito que jamais irá esquecer, tenho certeza! Senti ele delirar em meus lábios.

Não demorou muito, ele já queria me comer. Perguntou se eu tinha camisinha. Óbvio que sim! Mulher preparada é outro departamento! Não fico sem preservativo na bolsa. Tirei um da bolsa, ele colocou com jeitinho e aí a festa começou! Metemos muito! Gozamos praticamente juntos!

Cansados, suados e satisfeitos, fomos para o banho. Ele jogou o sabonete no chão de propósito! Eu que não sou boba, adorei a investida que acabou rendendo mais deliciosos momentos.

Hoje passados quatro anos desta aventura, tive a oportunidade de reencontrar ele novamente. Posso dizer que ele continua uma delícia.

Conto erótico enviado por seguidora anônima.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHora do Almoço
Próximo artigoO Caminhoneiro
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.