E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais
Conheci esta menina no meu trabalho. Trabalhávamos juntos há alguns meses  e sempre conversávamos sem maiores compromissos.Os dias foram passando e de vez em quando percebia um flerte. Na verdade, ela é um tesão! Bunda deliciosa, seios fartos, pernas gostosas, rosto angelical e uma boquinha de tirar meu fôlego!
Uma vez, maliciosamente, me contou que tinha um fetiche: fazer sexo bem gostoso no escritório! Que indireta direta!!
Um dia, de propósito, quando não tinha ninguém na nossa sala (para testar a veracidade do tal “fetiche”), passei a mão nos seus seios… Tipo “esbarrei sem querer”! Ela fingiu que não notou. Fui mais direto e coloquei minha mão em sua coxa… Desta vez, me olhou com firmeza. Ela estava mais atenta do que nunca. Vi dentro de seus olhos um misto de surpresa e tesão…
Ela pegou minha mão e a levou diretamente para o meio de suas pernas, sempre me olhando nos olhos. Safada! Apertou minha mão de tal forma que deu pra perceber o quanto estava quente por baixo da calça. Mordeu o lábio, passou a língua neles, depois afastou minha mão e continuou trabalhando como se nada tivesse acontecido. Decidi entrar no seu jogo.
Num outro dia, novamente estávamos sozinhos numa área meio isolada da empresa e ela veio me perguntar algo sobre um relatório. Aproximou-se de mim lentamente… Dava pra sentir aquele perfume adocicado vindo dela. Tive vontade de agarrá-la ali mesmo! Mas ela veio tão natural e completamente absorvida em seu trabalho me perguntar algo, que acabei me desconcentrando disso… De repente, aquele olhar dela, penetrante e incrivelmente ordinário, volta a me encarar… E sinto sua mão apertar o volume em cima de minha calça. Alisou meu membro e apertou novamente com uma cara de prazer que me deixou louco!
Ela soltou um gemido, olhou para o lado e para o outro dizendo que alguém poderia ver. E novamente voltou àquele ar de quem não tinha nada a ver com isso…
– Eu vou te pegar, menina… Não me provoque! – disse ameaçadoramente.
– Eu duvido! – ela retrucou.
E assim, essa provocação explícita durou algum tempo. Já não aguentava mais a vontade que tinha de agarrar aquela mulher e devorá-la ali mesmo, na mesa do escritório ou em qualquer outro lugar que ela quisesse. Estava virando uma verdadeira tortura trabalhar ao lado dela.
Naquele dia não deu pra suportar! Fomos almoçar juntos com a turma do trabalho, sentamos lado a lado. Ela estava com um vestido discreto, mas dava pra ver que pernas lindas ela tinha! Passou o tempo todo roçando sua perna na minha por baixo da mesa… E sempre fazendo aquele jogo duplo. Pediu-me para alcançar um guardanapo e quando dei em suas mãos, ela falou baixinho e sem expressão alguma “estou sem calcinha”. Senti meu p… crescer na mesma hora. Só fiquei imaginando como ela estava por baixo daquele vestido. Hoje eu vou pegar ela de qualquer jeito!
Voltamos para nossa sala, quase ninguém tinha voltado ainda! Abri a porta e ela entrou atrás. Roubei um beijo gostoso daquela mulher que estava me enlouquecendo de desejo. Mostrei pra ela o quanto estava duro por sua causa! Ela se entregou naquele beijo, me ofereceu o pescoço, deixou eu apertar sua bunda, seus seios por cima da blusa… Nossa! Que tesão de mulher!
Nossa vontade era evidente demais! Não tinha mais como parar tudo aquilo! Ela me olhou com uma cara safada e saiu dali. Entendi o que ela quis dizer… Fui atrás! Entramos rapidamente no banheiro. Situação de altíssimo risco! Adrenalina a mil… e eu não conseguia pensar em mais nada a não ser em cometer essa delicia de pecado com ela!
Não perdi tempo! Abracei ela com vontade, pressionando seu corpo naquela parede gelada do banheiro. Ela gemia baixinho, ofegava, dizia pra ficar quietinho…Baixou as alças do vestido e ofereceu seus lindos seios para mim. Lindos mesmo! Mordi os biquinhos arrepiados, lambi tudo o que pude… Ela ergueu o vestido até a altura da cintura; realmente estava sem calcinha e com más intenções! Ela se virou de costas, apoiou-se na parede e passou a mão em si mesmo. Que visão do paraíso!
– Quer pra você? – falava isso e alisava a própria bunda. Abria e fechava para mim, que estava boquiaberto com toda aquela cena. – Então vem pegar!
Disse isso e baixou o vestido imediatamente. Assumiu aquela postura de frieza e indiferença e saiu daquele banheiro, sem mais nem menos. Fiquei perplexo! Que raiva! Como ela pôde fazer isso comigo? Nem tive tempo pra pensar… Fiquei ali, sozinho, de p…duro naquele banheiro morrendo de vontade. Chegava a ver o riso dela estampado no rosto! Mas ela estava certa… em seguida, nossos colegas voltaram e tivemos que continuar o trabalho.
Trabalhamos a tarde toda, mas não consegui me concentrar em nenhum momento, lembrando do seu sabor. Ficamos depois do expediente pois nosso setor estava com muitas tarefas. Nem levantei da cadeira para que ninguém visse o quanto eu estava excitado. Após a saída do último colega, foi a vez dela avançar sobre mim! Abriu minha calça, segurou meu mastro e ainda teve a audácia de perguntar: “Posso?”
Respondi silenciosamente, segurando sua cabeça e baixando até ele… Boca quente, apertada, molhada! Esfregou ele em seu rosto… e novamente começou a chupar com muita vontade! Como fez no banheiro anteriormente, abaixou o vestido deixando à mostra aqueles peitos maravilhosos… Encaixou meu p… no meio deles e fez um delicioso movimento de vai-e-vem terminando na sua boca. Tive que me conter para não gozar naquele momento!
Ela sentou-se na mesa e ficou de lado… sem calcinha! Abriu  as pernas e me pediu pra ser devorada com prazer! Eu me abaixei e comecei a passar a língua vagarosamente por aquela pele macia. Ela tremia e revirava os olhos! Assim fiquei um bom tempo, sentindo todo o seu sabor. Sua respiração acelerada denunciava que o gozo estava muito próximo! E assim foi! Intenso! Ela agarrou meus cabelos e soltou um gemido que ecoou pelo escritório…
Disse que estava morrendo de tesão e que queria que eu a penetrasse agora! Deitou-se de barriga na mesa, deixando aquela bunda linda na minha frente. Abriu as pernas e não aguentei! Entrei nela com toda a vontade que tinha guardado até então… Me lambuzei com o seu mel, estava muito gostoso vê-la daquele jeito ali, toda entregue… Entrava e saía numa perfeição incrível! Ela toda aberta em cima da mesa… Virei-a em cima da mesa e pude ver seus lindos seios balançando com meus movimentos… Ela soltava uns gemidinhos, toda dengosa! Dizia pra não parar… Ela queria me sentir inteiro dentro dela! A mesa estava numa altura perfeita!
Continuamos assim. Ela se virou de lado e deixou as pernas juntas. Enfiava gostoso nela, que agora estava apertadinha por conta daquela posição. Gozei vendo ela se tocar… Tão quente estava! Ela se retorcia em cima da mesa! Gozou junto comigo! Êxtase total! Química perfeita! Dava pra ver em seus olhos (aqueles mesmos olhos safados que viviam provocando ele todos os dias) o quanto ela havia gostado!
A partir daquele instante, sabíamos que momentos como este iriam se repetir… Nos apaixonamos perdidamente um pelo outro! Até hoje…”
– Não é mesmo, querida? – disse olhando pra ela, aninhada em meus braços.
Fonte: autoria Alessandra A.
Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.