E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais

Eu e Helena já nos encontrávamos há algum tempo. Tínhamos uma grande afinidade, inclusive, no quesito sexo. Nós dialogávamos e praticávamos bastante.

Certa vez nosso dialogo foi o sexo anal e nossas experiências anteriores, experiências que ainda não tivemos, e por aí vai… Mas eu queria saber mesmo o que faltava pra ele ela gozar no sexo anal. Ela me disse que por conta da espessura do meu membro (eu achei bobagem, pois não é nada de extraordinário).

Então marcamos de sair no dia seguinte. Providenciei um bom lubrificante íntimo e fui encontra-la ao anoitecer.

Aquela conversa da noite anterior nos deixou muito excitados. Nós nos olhávamos e nos beijávamos com muito ardor e desejo. Beijos quentes e excitantes e caricias inusitadas completavam o momento.

Passamos em uma pizzaria. A atendente ficou até meio sem graça por interromper nossos beijos. Nós sorrimos para a moça como um pedido de desculpas. Quando a pizza chegoi, nós comemos e saímos logo, pois éramos o último casal do salão.

Fumamos um cigarro e nos pegamos mais um pouco antes de ir para o motel. Cada beijo era de tirar o fôlego. Seu pescoço cheiroso era meu alvo favorito, pois ela se arrepiava toda quando eu o beijava e me devolvia um sorriso safado com um olhar devorador.

Já no motel, dentro da suíte que escolhemos o clima pegou fogo. Estávamos sedentos por aquele momento!

Enquanto trocávamos beijos e carícias, tirávamos nossas roupas e sem demorar muito ela arrancou meu membro da cueca e começou a me chupar enlouquecida, fazendo um sexo oral maravilhoso!

Não perdi tempo e a puxei para o centro da cama terminando de tirar sua linda lingerie preta que tanto me provocava.

Devolvi a chupada na mesma intensidade, ela gemia de tanto tesão. Não perdi tempo e comecei a penetrá-la freneticamente e não demorou muito para que eu atingisse o orgasmo, gozando pela primeira vez. Trocamos de posição e continuamos, dessa vez ela por cima.

Ela dizia sem parar “Adoro teu membro todo dentro da mim!” cavalgava e rebolava como se fosse a última transa de sua vida. E, sem demorar, apertando meu peito e mordendo meus lábios, ela gozou para mim, mais uma vez.

Tínhamos uma posição especial, na qual ela ficava por cima, meio de lado praticamente roçando um corpo no outro. Eu adorava pois me dava tola liberdade de trabalhar com as mãos para acariciar teu corpo todo, principalmente a bunda, que eu adoro.

E assim ficávamos, até que sentisse tua pele queimando de tesão. E logo, um tapa firme, bem estalado, e um gemido alto de prazer!

Ela gozou tanto, que aproveitei sua lubrificação natural para iniciar uma deliciosa brincadeira na “zona proibida”.

Para deixa-la mais relaxada, continuei penetrando meu membro rígido em seu sexo molhado de tesão e brincava com o dedo na parte de trás. E para minha surpresa, ela gozou de novo.

Os dois estavam com a respiração ofegante, quase não aguentávamos mais, mas o tesão falava mais alto. Tornei a chupar seu sexo todo melado novamente e ela sempre dizendo que adorava quando eu a chupava depois de gozar.

Enquanto trabalhava com a boca, não parei de estimular a região anal com o dedo. Peguei o lubrificante para ajudar na brincadeira e também para deixa-la mais tranquila com seu medo da dor.

Ficamos na posição “de ladinho”. Só encaixei a ponta do membro e deixei que ela fizesse o restante enquanto eu beijava teu pescoço, acariciando teus seio e principalmente teu clitóris. Não demorou muito e meu membro já estava por completo dentro dela.

Comecei com algumas bombadas mais fortes e logo ela pediu para que eu a pegasse de quatro. Sugeri que ela viesse por cima, assim ela poderia controlar a penetração e claro, eu admiraria mais ainda a vista.

E começou a rebolar cada vez mais rápido seus movimentos em cavalgadas fortes e constantes, enquanto eu chupava teus seios até ela atingir o orgasmo mais uma vez, em um delicioso Sexo Anal.

Então ela se deitou em cima de mim sorrindo e disse “eu gozei muito gostoso em um anal delicioso!”. Fomos tomar um banho relaxante para tomar um fôlego e recuperar as energia. Parecia que tínhamos corrido uma maratona pelo tanto de suor.

Depois do banho, era minha vez de gozar. retomamos com as preliminares, começamos com um sexo oral delicioso, mas eu queria mais. Comecei a penetrar novamente, dessa vez no “papai e mamãe”.

Logo ela me olhou e deu um sorriso malicioso, levantando e ficando de quatro no canto da cama. Passei a mão no lubrificante e lambuzei tudo. Comecei a bombar forte e ela dizia “me fode com força”. Segurei o seu quadril e meti com força, ela gemia gemia alto de tesão.

Não demorou muito e a convidei para gozar comigo, ao mesmo tempo e logo explodi de tesão dentro de seu sexo encharcado com meu gozo. Gozamos juntos.

Enfim, desabei na cama sem forças, satisfeito!

Autoria do Conto: E.R.

Gostou deste texto? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.
Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.
Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorSem calcinha – Conto Erótico
Próximo artigoBrincando com Fogo – Conto Erótico
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.