E-book Contos Fetiche: Histórias Deliciosamente Reais

Sinceramente não sei dizer quando este fetiche começou. Só sei que imaginar minha esposa com outro homem me deixava louco de tesão. É estranho falar isso! Você deve estar pensando que eu sou um “corno”. Sim, acho que sim… Aliás, até este termo eu gosto de ouvir também.

Difícil foi convencer ela desta louca fantasia que eu tinha. Houve muita resistência a princípio. Ela achava isto errado, coisa de gente promíscua e tinha medo até de que isso acabasse com nossa relação. Com o tempo fui convencendo ela deste desejo e optamos por brincar de “faz-de-conta”.

Este jogo erótico se resumia nela seduzir outros homens em público. A gente saía juntos e depois ela escolhia alguém para seduzir. Neste jogo, ela provocava os homens de todas as formas; muitas vezes eu sugeria as táticas de sedução. Eles ficavam loucos e achavam que eu não estava percebendo.

Minha esposa é uma mulher muito bonita e chama atenção por onde passa. Perceber outros homens desejando a minha mulher me deixava maluco. Ela também começou a gostar disso! Quando chegávamos em casa, o sexo era uma verdadeira loucura, pois minha imaginação ia além…

Estas brincadeiras duraram um bom tempo, mas cada vez aumentava mais minha vontade de ver ela de fato transando com outros. Resolvemos colocar em prática esta situação e fomos em busca de uma pessoa para realizar este desejo.

Entramos em uma rede social de sexo e criamos um perfil que deixava claro que eu queria ser um corno. Ela conversou com muitos homens e eu acompanhei de perto cada diálogo. Claro que depois disso, a noite sempre terminava em sexo.

Quando escolhemos seu novo parceiro, ela fez questão de me mostrar cada passo do seu trajeto. Enviava fotos e áudios o tempo todo. Eu estava no trabalho.

Ainda bem que fico em uma sala onde somente eu tenho acesso. Tranquei a porta, liguei o Skype e pedi para a secretária não me chamar sob hipótese alguma que tinha um compromisso pra resolver. Assim pude acompanhar “ao vivo” tudo o que eles estavam fazendo e me masturbei loucamente.

Quase morri de tesão quando eles fizeram sexo anal. Aquela cena onde ela ficava de quatro na cama e ele por cima, montado e metendo feito animal foi inesquecível. Todo o seu membro entrava nela! Ela gemia alto de prazer. Confesso que o rapaz era bem resistente, pois ficou muito tempo só penetrando nela por trás.

Depois sai correndo do trabalho e fui buscá-la no motel. Durante o caminho falamos muito a respeito disso. Assim que chegamos em casa, transamos loucamente. Também quis sexo anal. Reprisava o tempo todo aquela cena na minha mente e o orgasmo foi maravilhoso.

Depois deste lance, já repetimos diversas vezes. Já aconteceu de estar junto com ela e assistir tudo, mas gosto mesmo de acompanhar de longe, sem nenhuma possibilidade de participar fisicamente.

Não considero isso uma traição, mas sim um fetiche. Antes era somente meu desejo, hoje é nosso! Ficaria incomodado se ela se envolvesse com outro cara sem me avisar. No fundo, o que eu mais gosto é quando ela volta pra mim.

Conto Erótico enviado por seguidor anônimo.

Gostou desta história? Fique à vontade para comentar!
Visite também nossa página no FACEBOOK e nos acompanhe no INSTAGRAM.

Convidamos você a fazer parte de nossa Lista de Transmissão e receber diariamente dicas e novidades de nossa Loja Virtual. Entre em contato conosco pelo número: (11) 94392-4247  para ser adicionado em nossa Lista Vip.

Caso esteja lendo este texto pelo celular, CLIQUE AQUI e fale diretamente conosco.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO ônibus das onze
Próximo artigoUma Noite de Verão
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.