Quando cheguei do treino eram umas 22H. Ela cochilava no sofá… Eu fui direto para o banheiro tomar um banho e quando saí, ela ainda estava lá.

Sentei no sofá, coloquei seus pés em meu colo e ela resmungou sonolenta: “Você só está chegando tarde”. Para evitar uma discussão, peguei o creme hidratante na mesa ao lado e comecei a fazer massagem em seus pés. Na hora ela deu um leve sorriso, pois já conhecia minhas intenções.

Continuei massageando seus pese, subindo pelas panturrilhas, deslizando pelas suas coxas… Lambuzei mais ainda minhas mãos e apertei com firmeza. Subi um pouco mais e toquei levemente em seu sexo. Ela rapidamente se levantou e disse: “Vou tomar um banho.”.

Deixei em cima da cama o conjunto de lingerie que comprei para ela. Quando ela saiu do banheiro, apenas gritei de onde estava: “Coloca para mim, Nega”. Ela apareceu na sala usando aquela lingerie vermelha… Linda e maravilhosa! Adoro ver ela assim.

Pedi para ela deitar de bruços e continuei com a minha massagem. Minhas mãos percorriam suas coxas e sua bunda. Aproveitava o momento e encostava de propósito no meio de suas pernas. Pela calcinha dava pra ver o quanto já estava excitada e molhadinha. Deitei em cima dela e beijei sua nuca. Bem de leve, mal encostava os lábios… Mordidas na orelha e lambidas em suas costas completavam o clima.

Tirei meu membro pra fora da cueca e puxei sua calcinha para o lado. Enfiei devagarzinho, sentindo cada centímetro invadindo aquele espaço quente. Ela gritou um “Ai” que me deixou louco! Já sabia que o tesão havia pegado nós dois de jeito.

Comecei a rebolar dentro dela, bem devagar… Fui acelerando e diminuindo o ritmo alternadamente. E ela me acompanhando nos movimentos.  Sem que ela esperasse, tirei-o de dentro. Ela ainda me segurou pelos pulsos, como quem pede pra ficar e continuar. Disse: “Calma, vou voltar à massagem.”

Continuei “meu trabalho”, fui descendo pelas costas, pela bunda, até chegar a suas coxas… Separei suas pernas e seu sexo ficou à mostra. Não resisti e cai de boca, lambendo tudo… De fora a fora. Chupei faminto!

Ela se virou e colocou uma perna no chão, outra nas costas do sofá. Era tudo o que ela queria! Lambendo sua virilha, fui me aprofundando sem encostar-se ao clitóris. Passei minha língua com vontade e comecei a brincar com seu grelinho. Fazia círculos, sugava mais círculos, sugava novamente, círculos e círculos…

Ela estava prestes a gozar, eu já estava louco pra meter. Mas não podia (e nem queria), fazer gozar é sempre meu objetivo. Continuei a passar a ponta da língua em todos os lugares que ela gosta, alternando todos os ritmos possíveis, quando de repente ela agarrou em meus dreads e gritou: “Estou gozando, Preto.”

Aquele gosto na minha boca aumentou o meu tesão. Meu membro estava estourando, babando… Enfiei de uma vez só tudo dentro! Com uma excitação animal, soquei alucinadamente dentro dela. E com força, pois eu já estava louco pra gozar.

Completamente suado, com meu suor pingando em seu rosto, gozei gostoso, abundante, intenso! Delícia demais tudo aquilo! Ficamos abraçados por uns cinco minutos, então ela me empurrou e disse:

– Me deixa dormir agora. Hoje você vai dormir no sofá. Amanhã você me explica porque chegou a essa hora.

Eu faço capoeira.. E ela tem um ciúme imenso disto!

Fonte: conto erótico enviado por seguidor anônimo

E então, gostou deste texto? Comente logo abaixo o que achou desta aventura.
Quer ver seu texto publicado aqui em nosso blog?
Convidamos você para visitar nossa página no FACEBOOK 
e também nos acompanhar através do INSTAGRAM.
Diariamente muitas novidades para você!