Faltavam apenas três dias para o Natal e eu estava empolgada para atender o maior numero de clientes possível pra ganhar uma boa comissão. Enquanto aguardava avistei uma linda jovem de estatura mediana em um vestido de cores claras ostentando uma bolsa Prada cor de rosa e o cabelo preso em um coque despenteado. Fui aborda-la de imediato.

_ Bom dia ! Em que posso ajudar? – Ela mal olhava em minha direção. Perguntei novamente:
_Em que posso ajudar moça ?
_Estou procurando uma calça jeans, daquelas bem coladas nas pernas.
_Você tem preferência por cores ?
_ Sim, pegue as mais claras pra mim, tipo jeans lavado .
_ Desculpa, qual a numeração?
_ 36 neh!!! (suspiros de arrogância). Ah, Coisinha, me traga um copo com água também. (Disse ela com um ar de superioridade que me deixou fascinada, pois adoro ser mal tratada).
_Ok, moça. Temos também algumas blusas. Não gostaria de dar uma olhada? Talvez ache uma que combine com a calça.
_ Ei, por acaso te disse que queria alguma coisa além de calça jeans e um copo com água?(antes mesmo que eu pudesse responder, ela continuou). Então faça o que te pedi, ok? Aff… Essas vendedoras não aprendem.

O jeito que ela me tratava me deixou numa excitação incrível, apesar de achar um pouco grossa sua forma de me tratar. Então peguei três modelos de calças pra ela e a conduzi ao único provador que estava livre. Nesse período do mês se aproximando das festas de final de ano a loja fica cheia para alegria das vendedoras. Perguntei se ela gostaria que eu entrasse com ela e sua resposta foi imediata.

_Claro né preciso da sua opniao pra saber qual ficou melhor em mim.
_Me desculpe, mas acho meio difícil alguma roupa ficar feia em bela mulher como você. Eu terei o maior prazer em ajudar (ela sorriu, o que me deixou ainda mais empolgada).

Como seu vestido era bem colado no corpo ela teria dificuldades de tirar sozinha.
_ Coisinha, me ajuda a abrir esse ziper? E passe essa calça do seu braço esquerdo.
_ Pois não.

Larguei as demais calças em cima dos puffs e fui ao seu encontro. Ajudei ela passando meus dedos por toda a extremidade de suas costas. Nesse momento ela suspirou fundo e se virou para mim. Pude ver aquela perfeição de mulher, corpo escultural, bumbum avantajado, estava usando uma lingerie de cor vermelha fio dental.

_ Essa calça você achou que ficou boa?
_ Ela ficou perfeita caiu como uma luva (risos).
_ Acho que agora vou querer olhar as blusinhas também.

Percebi certo tom de autoridade, mas como era cliente não podia questionar. Ao retornar já com as blusas em mãos, parei de frente ao provador anunciando que ia entrar novamente.

_ Moça, eu trouxe algumas aqui.
_ Entre e me ajude a desabotoar meu sutiã.

Nesse momento percebi que tinha algo diferente no ar. Caminhei em sua direção, ajudei ela tirar o sutiã. Ela deixou minhas mãos percorrerem seu corpo. Cheguei tao próximo que nossos seios se encostaram. Falei baixinho:

_ Vou ajudar você em tudo. (pude ouvir um suspiro mais forte e profundo)

Virei ela de frente pra mim. Sinal verde no ar. Acariciei seus mamilos deixando ela ofegante . Peguei em seu queixo e dei um beijo daqueles que a gente se molha toda. Percebi que a calça era um tanto apertada, eu teria dificuldade ao tirar. Mesmo assim minha ganância e desejo por aquela moça era tão grande que logo percorri com a minha língua pelo seu corpo.

Fui descendo até sua barriga, mapeando cada centímetro. Desci a calça até a altura dos seus joelhos pude ver seu sexo lisinho. Já ia invadir ela com a minha língua toda, mas o momento não era propicio. O provador estava lotado de mulheres.

Ignorei o perigo e fui ao encontro de sua grutinha toda encharcada deslizando a minha língua toda dentro dela. Quanto mais eu chupava intenso, mais ela fazia um movimento de vai e vem frenético com a cabeça.

Sentia seu grelo durinho… Ela abafava seus gemidos. Louca de desejo, também pude segurar uma perna e colocar por cima de meus ombros. Ela ficou mais aberta para mim. Continuei sugando seu sexo que mais parecia ser um mel dos deuses de tão gostoso.

Quando percebi que ela iria gozar, enterrei a minha língua toda fazendo ela se contorcer de prazer. Ao chupar a última gotinha, me levantei, dei um beijo nela e me recompus. Falei que ia fazer a nota para ela passar no caixa. Ainda tive a ousadia de perguntar o que ela levaria pra casa: a calça ou minha língua. Ela apenas sorriu.

_ Por favor, pague ali no balcão. Entregarei as roupas em seguida. Respirando ofegante, ela mal conseguia me responder. Novamente a beijei, ganhei um belo de um tapa na cara e um sorriso malicioso que me fez entender que não ficaríamos apenas naquele momento. Haveriam outros encontros, com certeza.

Fiz sua nota e junto coloquei meu numero de celular.
_ Obrigada e volte sempre.

Eu me despedi, mas ela com sua arrogância já conhecida, mal olhou em minha direção. Apenas pegou suas sacolas e saiu rapidamente, me deixando completamente louca pra provar mais uma vez de seu delicioso sabor.

A história continua…

Conto erótico enviado por Lady Myla

COMPARTILHAR
Artigo anteriorInesquecível Monique
Contos Fetiche é um site de Contos Eróticos que reúne histórias reais de pessoas com mente aberta e que curtem compartilhar suas experiências de maneira despretensiosa. Todos os textos aqui publicados são contos enviados por nossos seguidores ou então adaptados por um de nossos editores.